ASSINE

Ameba 'comedora de cérebro': caso de infecção na Flórida gera alerta nos EUA

Infectados pela ameba apresentam sintomas como febre, náusea, vômito, rigidez na nuca e dores de cabeça. Infecção pode acontecer quando a pessoa nada em água contaminada

Publicado em 06/07/2020 às 16h14
Atualizado em 06/07/2020 às 16h15
Ameba 'coedora de cérebro'
A ameba é encontrada em água doce quente como lagos, rios e fontes termais e no solo. Crédito: Getty Images/ BBC

Um caso de uma rara ameba 'comedora de cérebro' foi confirmado na Flórida, nos Estados Unidos, segundo autoridades de saúde locais. As informações são da BBC.

De acordo com a BBC, o Departamento de Saúde da Flórida confirmou que uma pessoa no condado de Hillsborough contraiu Naegleria fowleri, uma microscópica ameba unicelular que causa infecção no cérebro. Não foi informado o estado de saúde do paciente.

A ameba é encontrada em água doce quente como lagos, rios e fontes termais e no solo. Geralmente, as pessoas são infectadas quando a água contaminada entra no corpo através do nariz. Ela viaja para o cérebro onde causa uma doença meningoencefalite amebiana primária. A ameba não passa de uma pessoa para outra.

Sintomas 

Os infectados pela ameba apresentam sintomas como febre, náusea, vômito, rigidez na nuca e dores de cabeça. A maioria morre em até uma semana. Estima-se que 97% dos infectados morrem. O tratamento é feito com uma combinação de vários medicamentos, mas poucas pessoas sobrevivem.

Esse tipo de infecção é mais comum em Estados do sul dos EUA, mas ainda assim é rara. Na Flórida, há 37 registros desde 1962. Mas dada as suas consequências potencialmente fatais, o órgão de saúde da Flórida emitiu um alerta em 3 de julho para os moradores de Hillsborough. Autoridades locais recomendaram aos habitantes que evitem o contato do nariz com água encanada e de outras fontes da região.

A Gazeta integra o

Saiba mais
EUA

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.