ASSINE

Capixaba cria marca de roupa para mulheres de corpos reais

Luiza Molina trabalhou mais de dez anos com a família na loja de tecidos. Há dois meses ela criou a própria marca de roupas

Publicado em 18/07/2020 às 09h01
Atualizado em 20/07/2020 às 16h51
Abrindo o baú de Luiza Molina
Luiza Molina criou a própria marca de roupa. Crédito: Divulgação

Luiza Molina, 28 anos, cresceu no meio de tecidos, graças à tradicional loja da família, com 40 anos de mercado, localizada em Vitória. “Tenho memórias da minha infância, de estar correndo com a minha irmã, brincando de pique-esconde no meio de tecidos”. E foi aos 17 anos, quando começou a trabalhar na loja do pai, que descobriu a paixão pela moda e, principalmente, por roupas bem acabadas, com bom corte e modelagem.

Trabalhou mais de dez anos com a família, sonhando em ter a própria marca. Até que ela criou, há dois meses, a Mazla. “Durante esses anos fui me tornando mais crítica em cada peça que eu experimentava em lojas. Sempre fui considerada grande; para muitos, fora do padrão. Encontrar peças elegantes, sofisticadas, com boa modelagem e tecidos de qualidade, sempre foi uma dificuldade”, conta ela, que faz roupa para todos os tipos de mulheres.

“Todas são bem-vindas. Acredito que assim como eu, outras pessoas querem entrar em uma loja e se sentirem lindas, do jeito que são”. Formada em Relações Internacionais, ela participa de todo o processo de criação das peças. “Mas a marca tem o estilista Marcelo Zantti”. Entre seus sonhos está o de ser mãe. “Porém é para o futuro”, diz.

Este vídeo pode te interessar

  1. A Gazeta - h5g25n18o
    01

    Guardo com carinho.

    O primeiro vestido sob medida feito de cambraia de linho braspérola. Ele foi bordado à mão e guardo para, um dia, passar para minha filha. Ele carrega uma grande história, os bordados eram feitos em Linhares por bordadeiras tradicionais.

  2. A Gazeta - xpb6pc8
    02

    Não dou, não vendo e não troco.

    O topo do bolo do meu casamento. É um símbolo do meu matrimônio e se tornou um objeto de decoração na minha casa. Ele carrega uma frase importante: “This day i will marry my friend, the one i laugh with, live for, dream with, live” (Neste dia eu vou me casar com meu amigo, aquele com quem eu rio, vivo, sonho, vivo).

  3. A Gazeta - ctr4be
    03

    Eu adoro.

    Os álbuns de fotos. Cresci com minha mãe revelando fotos de todos os anos. Eu e minhas irmãs ajudávamos a montar cada álbum e a escrever frases que representassem as fotos. Hoje, continuo fazendo isso. Não abro mão dessas recordações.

  4. A Gazeta - 9vnk9ze
    04

    Presente inesquecível.

    A Medalha Milagrosa. Em minha primeira viagem a Paris, minha tia me levou a Capela de Nossa Senhora da Medalha Milagrosa e me presentou com uma. Adorei o que ela simboliza e carrego ela em minha carteira.

  5. A Gazeta - 7dqjvqn
    05

    Não saio de casa sem.

    O círculo cromático e paleta de cores. Carrego na minha bolsa e não deixo de fazer combinações de cores da minha paleta. É praticamente meu objeto de cabeceira.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.