ASSINE

8 termos preconceituosos para deixar de usar agora

Eles estão presentes no vocabulário popular e acabaram sendo naturalizados com o passar do tempo, mas suas origens e significados são carregados de discriminação. "Denegir", "gordice" e "homossexualismo" estão na lista.

Publicado em 12/03/2020 às 10h00
Atualizado em 12/03/2020 às 10h00
É o momento de repensar o vocabulário. Crédito: Freepik
É o momento de repensar o vocabulário. Crédito: Freepik

Os termos e palavras que compõem o vocabulário de uma sociedade são carregadas de história, influência e significado. Alguns tipos de discriminação - infelizmente - são tão naturalizados que herdamos termos preconceituosos como expressões comuns do repertório social. Mas a reprodução dessas palavras e termos estão com os dias contados, é o momento de nos atentarmos a isso e rever nosso “modo de dizer”.

A tal força do hábito nos faz ter o costume de usar termos que nem sabemos ao certo o significado, mas que a raiz da palavra está associada a um ou vários tipos de preconceitos, como racismo, machismo e xenofobia. Segue abaixo 10 expressões que você precisa colocar a mão na consciência sobre o uso delas:

  1. 01

    Denegrir

    O significado da palavra é “tornar negro” e aí é que mora o problema. O termo é utilizado com o sentido de difamar, desqualificar algo ou alguém. Logo, o termo é bem racista pois associa a ideia de negritude a algo pejorativo.

  2. 02

    Homossexualismo

    O sufixo “ismo” também é utilizado na língua portuguesa para identificar doenças. Como felizmente evoluímos, a orientação sexual de pessoas homossexuais já deixou de ser considerada patologia há muito tempo – desde a década de 90 -, mais pre, o que coloca o termo em desuso. A palavra deve ser substituída por homossexualidade.

  3. 03

    Mulata (o)

    Em espanhol, a palavra "mulato" referia-se ao filhote macho do cruzamento de cavalo com jumenta ou de jumento com égua. A enorme carga pejorativa acontece quando o termo é utilizado para se referir a alguém que é filho de pai branco e mãe negra ou vice-versa.

  4. 04

    Gordice

    A palavra é utilizada quando alguém exagera na comida ou ingere alimentos considerados não saudáveis. O termo assume um teor gordofóbico quando usado no sentido pejorativo, pois seu significado pode ser entendido como “agir como gordo” para tratar de um comportamento considerado “feio” ou inadequado.

  5. 05

    Mercado negro

    Durante muito tempo, o termo foi utilizado para se referir ao comécio ilegal de itens variados. Associar a palavra “negro” a algo ruim é um ato racista, pois coloca seu antônimo – o branco – como superior e/ou ideal. O mesmo ocorre com a expressão “lista negra”. Você pode substituir por mercado clandestino.

  6. 06

    Judiar

    Com o sentido de maltratar, torturar ou causar sofrimento, a palavra faz referência ao período em que o povo judeu foi vítima de perseguições. Além de ferir a dignidade de um povo, o termo é xenofóbico.

  7. 07

    "Inveja branca"

    Neste caso, a palavra “branca” aparece com o objetivo de amenizar um sentimento ruim, a inveja. A questão é que a ideia do branco aparece como algo positivo, a expressão caracteriza uma “inveja boa”

  8. 08

    "Fazer pelas coxas"

    A expressão se popularizou sendo utilizada para caracterizar um trabalho mal feito. O problema do termo é que ele surgiu também na época escravocrata. Pessoas escravizadas utilizavam as coxas para moldar telhas e devido ao formato diferente dessa parte do corpo de uma pessoa para outra, algumas telhas não encaixavam no momento de fazer o telhado.

Este vídeo pode te interessar

Informações obtidas por pesquisa da reportagem.

A Gazeta integra o

Saiba mais
preconceito

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.