ASSINE

Referência em ensino superior, UVV alia tradição e inovação

Com mais de 40 anos de história, a universidade foi a instituição mais lembrada na pesquisa do Recall de Marcas 2020 neste segmento

Publicado em 14/08/2020 às 01h12
Atualizado em 20/08/2020 às 09h23
A UVV é a única universidade particular do Espírito Santo
A UVV é a única universidade particular do Espírito Santo. Crédito: UVV/Divulgação

Ser referência no ensino superior é realidade para a Universidade Vila Velha (UVV) que, neste ano, alcançou o primeiro lugar na pesquisa Recall de Marcas da Rede Gazeta neste segmento. O reconhecimento do público é resultado da aliança de duas premissas fundamentais que norteiam o trabalho desempenhado pela instituição: tradição e inovação.

"Por mais tradicional que a UVV seja porque tem mais de 40 anos de história, a universidade consegue ser, ao mesmo tempo, voltada para a inovação, seja na maneira de ensinar, seja no incentivo ao seu corpo docente, discente e técnico-administrativo para transformarem suas ideias em processos inovadores", observa o vice-reitor da UVV, Rafael Galvêas.

Uma busca constante da instituição, ainda de acordo com Rafael Galvêas, é compreender o papel que representa na vida das pessoas. 

Rafael Galvêas

Vice-reitor da UVV

"Tentamos nos colocar no lugar do aluno, que é o nosso cliente, para entender o que ele busca, se é recolocação profissional, arrumar o primeiro emprego ou ser reconhecido pela profissão que escolheu. Queremos formar pessoas que realmente se destaquem no mercado de trabalho"

A principal diferença da UVV para as demais instituições privadas de ensino superior, afirma Rafael Galvêas, é o tripé que a define como uma universidade: o ensino, a pesquisa e a extensão. Segundo ele, esses aspectos são fundamentais porque geram impacto social.  O vice-reitor ressalta que o MEC tem uma série de exigências específicas e de nível maior para as universidades, se comparadas as que são aplicadas às faculdades e aos centros universitários. A UVV, portanto, é a única universidade particular do Espírito Santo.

"Oferecemos algo multidisciplinar e atuamos em todas as áreas do conhecimento. O aluno tem infinitas possibilidades de interação com as pessoas de outros cursos, além da continuação dos estudos por meio da pós-graduação, do mestrado e do doutorado. O nosso diferencial é que, de fato, conseguimos ofertar o ensino muito prático e voltado para o mercado de trabalho através de uma aproximação com a cadeia produtiva", pontua Rafael Galvêas.

NA MENTE DAS PESSOAS

Estar em primeiro lugar no segmento de ensino superior na pesquisa Recall da Rede Gazeta significa ser a marca mais lembrada nessa área. Para o vice-reitor, o reconhecimento não se dá apenas por parte de alunos e egressos, mas também pelos projetos sociais que a UVV realiza, contribuindo para melhoria do dia a dia das pessoas.

Rafael Galvêas

Vice-reitor da UVV

"São muitos projetos sociais e atendemos uma grande parcela da população, da classe A até a classe E. Temos uma série de serviços gratuitos como atendimento jurídico, clínica de fonoaudiologia, de psicologia, de fisioterapia, laboratórios de engenharia que atendem a população que precisa por questões financeiras. Ao mesmo tempo, também oferecemos soluções para as empresas"

Para o vice-reitor,  a marca da UVV na memória das pessoas vai além do investimento que envolve as estratégias de marketing adotadas pela instituição. "Esses projetos são desenvolvidos pelos nossos professores junto a nossos alunos e têm um impacto social que faz com que a UVV fique na cabeça da população."

SONHOS E REALIDADE

Uma empresa que atua no ensino superior lida diariamente com a realização de sonhos. O desejo de estudar na UVV, por exemplo, pode surgir até em crianças que visitam a universidade para conhecer as instalações. Essa vontade também pode se manifestar na feira de profissões durante a qual a instituição ajuda os estudantes a decidirem o que vão escolher para o futuro.

"Temos projetos em que trazemos escolas de ensino fundamental e médio, da rede privada e pública, para conhecerem nossa estrutura. Também vamos nessas escolas para realizar a feira de carreiras para ajudar os jovens na escolha da profissão. Além disso, temos a maior feira de inovação do Espírito Santo, a Inova Week, que também atrai gente do Estado inteiro para nos visitar. Essas são ações que acabam marcando a vida da pessoa."

LIÇÕES DA PANDEMIA

A pandemia do novo coronavírus afetou todos os setores e a vida de toda a população e, no ensino superior, não seria diferente. No início desta crise, Rafael Galvêas aponta que a UVV precisou se reinventar em tempo recorde: em apenas dois dias, todas as aulas foram levadas para o ambiente virtual.

"Vimos a dificuldade dos professores e alunos com essa mudança e investimos muito em treinamento e capacitação dos nossos docentes para tornarem as aulas mais interessantes através de metodologias ativas", revela o vice-reitor.

Rafael Galvêas é vice-reitor da UVV
Rafael Galvêas é vice-reitor da UVV e aponta diferenciais da instituição. Crédito: Arquivo Pessoal

Diante deste cenário atual, para o segundo semestre de 2020, Rafael informa que a UVV tomou medidas a fim de satisfazer todos os alunos. "Fizemos uma pesquisa e vimos que 60% dos estudantes, enquanto tiver pandemia, querem assistir às aulas de casa. Mas 40% não querem, de jeito nenhum, continuar com aula on-line. Então, vamos ofertar as duas possibilidades", assegura Rafael Galvêas, acrescentando que a UVV instalou câmeras em todas as salas, e os alunos vão escolher como preferem acompanhar as aulas.

FUTURO

A pandemia também adiou algumas iniciativas, como a UVV High-line, em Vitória. A expectativa era que o lançamento fosse realizado em agosto, mas agora a instituição optou por esperar um retorno presencial mais seguro. A sede vai ser em um prédio de 11 andares, na Enseada do Suá, e vai dispor de cursos de pós-graduação premium.

"Também vamos montar um hub de inovação para fazer parcerias e consultorias para as empresas. Essas parcerias vão ser de nível nacional e até internacional. Agora, vamos aguardar para definir a data de lançamento", pontua.

Outra novidade que vem por aí é a expansão dos polos da UVV para o interior do Espírito Santo. As regiões Norte e Noroeste já estão contempladas nos municípios de Aracruz, Linhares, São Mateus, Colatina e Nova Venécia. Agora, o foco é lançar as unidades nas regiões Sul e Serrana, em cidades como Guarapari, Guaçuí, Cachoeiro de Itapemirim, Santa Teresa e Santa Maria de Jetibá. A expectativa é que essa expansão aconteça ainda em 2020.

"Esses polos são diferentes daqueles que as pessoas estão acostumadas a ver. Os polos que as outras instituições abrem não têm biblioteca, laboratório de informática, sala de aula. Estamos abrindo esse modelo de polo porque pensamos em ofertar não só cursos on-line, mas também os cursos semipresenciais que precisam de uma estrutura melhor", finaliza Rafael Galvêas. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
Recall 2020

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.