ASSINE

Gastronomia é opção de mercado de trabalho, lazer e aprendizado

O Instituto de Gastronomia das Américas (IGA) conta com um amplo portfólio que vai desde cursos profissionalizantes até workshops rápidos

Publicado em 26/11/2020 às 14h00
Atualizado em 26/11/2020 às 14h51
Para o professor e gerente comercial do IGA-ES, Carlos Alberto Sudati, a equipe da instituição não trabalha só com amor e com sonhos, mas também com profissionais que precisam se qualificar para ganhar a vida
Para o chef e gerente comercial do IGA-ES, Carlos Alberto Sudati, a equipe da instituição não trabalha só com amor e com sonhos, mas também com profissionais que precisam se qualificar para ganhar a vida. Crédito: IGA/Divulgação

Com uma oferta de cursos que vai desde a formação de chefs até aulas para crianças, é quase impossível não encontrar uma opção sob medida no Instituto de Gastronomia das Américas (IGA). Há alternativa para quem ama cozinhar em casa ou até para quem sonha em se tornar um profissional na área. Com duas escolas no Estado, uma em Vitória e outra em Vila Velha, a instituição possui cerca de 90 unidades espalhadas pelo Brasil, além de diversas filiais em outros países da América Latina e nos Estados Unidos.

O chef e gerente comercial do IGA-ES, Carlos Alberto Sudati, explica que um dos diferenciais da escola, além do melhor custo-benefício do mercado, é a grade curricular ampla que aprofunda os assuntos de administração e marketing gastronômico; organização de eventos; cerimonial e protocolo; segurança e higiene de alimentos; administração de alimentos e bebidas; coquetelaria; entre outros. Além disso, os cursos não abordam só os aspectos técnicos, mas também ensina o básico de alguns idiomas como francês e inglês, para que os alunos não errem a pronúncia dos pratos e ingredientes.

O IGA conta com o curso chamado de  “Chefinhos”, uma turma voltada para crianças
O IGA oferece o curso chamado de “Cozinheirinhos”, uma turma voltada para crianças. Crédito: IGA/Divulgação

“É impossível ter um curso completo e profissionalizante em qualquer área da Gastronomia sem abordar aspectos socioculturais, falar de História, de Geografia. Nosso objetivo é lapidar talentos e tornar os nossos profissionais capacitados o bastante para serem disputados pelo mercado. Já é o que acontece; quem faz nosso curso sai muito na frente”, observa Sudati.

VANTAGENS DE COZINHAR

Fonte de renda, lazer, paixão e autonomia são algumas vantagens de saber cozinhar, na opinião da professora de Gastronomia e Alta Cozinha do IGA-ES, Ana Paula Gomes Pereira. Segundo ela, que começou a carreira há mais de 15 anos como vendedora de salgadinhos, entender o processo de produção, conhecer os ingredientes e saber o básico são alguns requisitos para quem quer se livrar do delivery.

“Quem aprende a cozinhar tem uma sensação libertadora. Você sente vontade de comer algo e pode fazer. Não depende de ninguém. Saber cozinhar é ter autonomia, capacidade de escolha. O IGA oferece a possibilidade de aprendizado para quem tem o sonho de ser profissional, inclusive com estágios na Espanha e na França, polos da alta gastronomia, e também para quem gosta de fazer um prato especial para a família e os amigos. O nosso forte é ensinar com excelência”, destaca a professora.

Segundo a professora de Gastronomia e Alta Cozinha do IGA-ES, Ana Paula Gomes Pereira, quem aprende a cozinhar tem uma sensação libertadora
Segundo a professora de Gastronomia e Alta Cozinha do IGA-ES, Ana Paula Gomes Pereira, quem aprende a cozinhar tem uma sensação libertadora. Crédito: IGA/Divulgação

MUDANÇAS POSITIVAS

Com a pandemia, a instituição precisou se adequar, porém as mudanças foram positivas, já que o número de cursos cresceu e as novidades estão prontas para sair do forno em 2021. A partir do próximo ano, a modalidade semipresencial vai fazer parte do instituto. Dessa maneira, alunos de outros municípios poderão estudar de forma remota o conteúdo teórico e fazer as aulas práticas uma vez ao mês.

Ainda de acordo com Sudati, a partir de março, com o início do ano letivo no IGA, além dos cursos profissionalizantes, também estarão presentes o “Cozinheirinhos”, uma turma voltada para crianças, o “Chef Express”, que busca ampliar os conhecimentos dos cozinheiros de fim de semana, além de diversos outros cursos rápidos e workshops.

A partir de 2021, o IGA vai disponibilizar a modalidade semipresencial com aulas teóricas de forma remota e uma aula prática por mês
A partir de 2021, o IGA vai disponibilizar a modalidade semipresencial com aulas teóricas de forma remota e uma aula prática por mês. Crédito: IGA/Divulgação

“A gastronomia é um mercado que sempre tem se apresentado promissor, inclusive nos momentos de maior crise econômica. Neste momento de pandemia, não foi diferente. Infelizmente, vimos que o comércio está lutando com dificuldade, mas ao mesmo tempo novos estabelecimentos surgiram. A capacitação permite que o indivíduo amplie os horizontes, qualifique-se e ocupe um lugar no mercado. Por isso, o nosso papel é tão importante. Trabalhamos não só com amor e com sonhos, mas também com profissionais que precisam se qualificar para ganhar a vida”, finaliza Sudati.

Além dos aspectos técnicos, os alunos do IGA também aprendem o básico de alguns idiomas como francês, italiano e inglês, para que não errem a pronúncia dos pratos e ingredientes
Além dos aspectos técnicos, os alunos do IGA também aprendem o básico de alguns idiomas como francês, italiano e inglês, para que não errem a pronúncia dos pratos e ingredientes. Crédito: IGA/Divulgação

Ficou interessado nos cursos? Entre no site do IGA e saiba mais sobre as capacitações disponíveis.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.