ASSINE

Twitter suspende conta de Donald Trump permanentemente

Empresa decidiu banir o presidente dos EUA, já no fim do mandato, por risco de incitação à violência. Trump usou a rede social para convocar apoiadores que invadiram o Congresso. Cinco pessoas morreram

Publicado em 08/01/2021 às 21h27
Atualizado em 08/01/2021 às 21h27
Presidente dos EUA preparando-se para embarcar em helicóptero no estado da Georgia no dia 4 de janeiro de 2021
Presidente dos EUA preparando-se para embarcar em helicóptero no estado da Georgia no dia 4 de janeiro de 2021. Crédito: Tia Dufour/White House

Twitter suspendeu, na noite desta sexta-feira (8), permanentemente a conta do presidente Donald Trump. Quem acessar sua página, não encontrará suas publicações ou fotos.

"Após uma análise detalhada dos tweets recentes da conta [de Donald Trump] e do contexto em torno deles, suspendemos permanentemente a conta devido ao risco de mais incitação à violência ", disse a empresa

A Twitter Safety, que cuida da segurança da plataforma, disse a estrutura da rede social existe para permitir que o público ouça diretamente os líderes mundiais, no entanto, "há anos deixamos claro que essas contas não estão acima de nossas regras e não podem usar o Twitter para incitar a violência".

Centenas de funcionários do Twitter exigiram em uma carta escrita que os líderes da empresa suspendessem pernamanentemente a conta de Donald Trump, segundo o The Washington Post, que teve acesso ao conteúdo.

Este vídeo pode te interessar

Na carta, dirigida ao presidente-executivo Jack Dorsey e seus principais executivos, cerca de 350 funcionários do Twitter também solicitaram uma investigação sobre os últimos anos de ações corporativas que levaram ao papel do Twitter invasão do Capitólio na quarta (6) durante a sessão conjunta entre deputados e senadores para a certificação da vitória de Biden.

O presidente republicano já havia sido bloqueado no Facebook e no Instagram pelo menos até a cerimônia de posse do democrata Joe Biden, programada para 20 de janeiro.

"Acreditamos que os riscos de permitir que o presidente continue a usar nossos serviços durante este período são grandes demais", disse Zuckerberg em um comunicado publicado no próprio Facebook.

A plataforma de streaming de games Twitch, adquirida pela Amazon em 2014, também anunciou o banimento da conta do republicano ao menos até o fim de seu mandato.

Alegando risco de violência, o Facebook já havia removido na quarta um vídeo do republicano no qual ele pedia aos manifestantes que fossem para casa mas reafirmava falsamente que o pleito foi fraudado.

O mesmo conteúdo também recebeu alertas antes de ser removido pelo Twitter, que excluiu ainda uma publicação em que Trump dizia que o vice-presidente Mike Pence "não teve a coragem de fazer o que deveria ter sido feito" para proteger os EUA e sua Constituição.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.