ASSINE

Maior usina nuclear da Ucrânia está fora de controle, diz diretor de agência da ONU

Usina de Zaporíjia foi palco de um dos maiores incidentes no início da guerra entre Rússia e Ucrânia. Há temores de que a usina possa desencadear um acidente como o de Chernobyl

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 04/08/2022 às 17h59

O diretor-geral da Aiea (Agência Internacional de Energia Atômica), Rafael Grossi, alertou que a maior usina nuclear da Ucrânia está completamente fora de controle e demanda um plano urgente para evitar que um novo acidente aconteça.

UKR - RÚSSIA/UCRÂNIA/ATAQUE - INTERNACIONAL -  Um dia após o presidente da Rússia, Vladimir   Putin, autorizar uma invasão militar em larga escala na Ucrânia, tropas russas   alcançaram  Kiev, a capital do país vizinho.
Guerra na Ucrânia: maior usina nuclear do país, a Usina de Zaporíjia, está fora de controle. Crédito: EMILIO MORENATTI/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

Em entrevista à agência Associated Press na última terça-feira (2), ele disse que a situação no complexo de Zaporíjia está ficando mais perigosa a cada dia, com diversas violações acontecendo. "Todos os princípios de segurança nuclear foram violados", disse. "O que está em jogo é extremamente sério e extremamente grave e perigoso."

A usina de Zaporíjia, que fica no sudeste da Ucrânia, foi palco de um dos maiores incidentes no início da guerra, quando um ataque deu origem a um incêndio na unidade. Desde então, o local está ocupado por tropas russas. Na terça, o secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, acusou Moscou de transformá-la em uma base militar

Segundo Grossi, a integridade física da usina não está sendo respeitada, à medida que Ucrânia e Rússia continuam se acusando mutuamente de atacar o complexo.

Além do risco óbvio por estar no centro dos combates, Zaporíjia estaria passando por problemas com a reposição de peças devido às interrupções na cadeia de suprimento, disse o diretor. "Quando você junta isso, há um catálogo de coisas que nunca deveriam estar acontecendo em nenhuma instalação nuclear."

Grossi fez um apelo urgente à Rússia e à Ucrânia para permitir que especialistas da Aiea - agência que é vinculada à ONU - visitem rapidamente a usina para estabilizar a situação e evitar um acidente nuclear.

Segundo ele, há uma situação paradoxal em que a usina é controlada pela Rússia, mas sua equipe ucraniana continua executando operações nucleares, levando a inevitáveis momentos de atrito e violência.

"Estou implorando como funcionário público internacional, como chefe de uma organização internacional, peço a ambos os lados que deixem esta missão prosseguir", disse

Os alertas reacendem temores de que a maior usina nuclear da Ucrânia possa desencadear um acidente como o de Chernobyl, ocorrido em 1986, que é considerado o pior desastre nuclear do mundo.

Este vídeo pode te interessar

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.