ASSINE

Índia supera 18 milhões de infecções por Covid-19

A segunda nação mais populosa do planeta está em uma crise profunda, já que seus hospitais e necrotérios estão sobrecarregados e com dificuldade de lidar com a pandemia

Publicado em 29/04/2021 às 16h55
Forte de Amber é uma fortaleza histórica localizada na cidade de Amber, Índia
Forte de Amber é uma fortaleza histórica localizada na cidade de Amber, Índia. Crédito: dMz|Pixabay

O total de casos da covid-19 na Índia passou de 18 milhões nesta quinta-feira (29), na esteira de mais um recorde mundial de infecções diárias, enquanto coveiros trabalham 24 horas para enterrar vítimas e fileiras de piras funerárias são montadas em parques e estacionamentos.

O país relatou 379.257 casos novos da covid-19 e 3.645 mortes adicionais nesta quinta-feira, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Trata-se do maior número de óbitos registrados em um único dia desde o início da pandemia no país.

A segunda nação mais populosa do planeta está em uma crise profunda, já que seus hospitais e necrotérios estão sobrecarregados e os profissionais de saúde têm dificuldade de lidar com a pandemia.

Sayyed Munir Kamruddin, um coveiro de 52 anos de Mumbai, disse que ele e os colegas estão trabalhando sem parar para sepultar vítimas da covid-19.

"Não tenho medo da covid, trabalho com coragem. É tudo questão de coragem, não de medo", disse.

Todos os dias, milhares de indianos procuram freneticamente leitos hospitalares e oxigênio para salvar a vida de familiares doentes, usando aplicativos de redes sociais e contatos pessoais. Quando leitos hospitalares ficam disponíveis, especialmente em unidades de tratamento intensivo, são ocupados em minutos.

"A ferocidade da segunda onda de fato pegou todos de surpresa", disse K. VijayRaghavan, principal conselheiro científico do governo indiano, segundo o jornal Indian Express.

"Embora estivéssemos todos cientes de segundas ondas em outros países, tínhamos vacinas à mão, e nenhuma indicação de exercícios de modelo apontavam a escala da disparada."

Os militares da Índia começaram a transportar suprimentos médicos essenciais, como cilindros de oxigênio, por todo o país e abrirão suas instalações de saúde aos civis. Hotéis e vagões de trem estão sendo convertidos em instalações de atendimento de urgência para compensar a carência de leitos hospitalares.

A maior esperança da Índia para conter sua segunda onda mortal da covid-19 é vacinar sua vasta população, disseram especialistas, e na quarta-feira (28) o país abriu inscrições para todas as pessoas acima de 18 anos receberem doses a partir de sábado (1).

Mas a Índia, mesmo sendo a maior fabricante mundial de vacinas, não tem estoque para as estimadas 800 milhões de pessoas autorizadas a se vacinarem.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Saúde Coronavírus Saúde Índia Mundo Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.