ASSINE

Djokovic faz primeiro treino em Tóquio e diz que chave do tênis não será fácil

Atual número 1 do mundo, o sérvio Novak Djokovic afirmou que "está cheio de confiança e motivado para representar a Sérvia da melhor maneira possível"

Publicado em 21/07/2021 às 14h13
O atleta Novak Djokovic
Atual número 1 do mundo, o sérvio Novak Djokovic já está em Tóquio para a disputa dos Jogos Olímpicos. . Crédito: Reprodução/Instagram @djokernole

Atual número 1 do mundo, o sérvio Novak Djokovic já está em Tóquio para a disputa dos Jogos Olímpicos. O tenista inclusive fez, nesta quarta-feira, o seu primeiro treino nas quadras do Ariake Tennis Park, que receberá a competição a partir deste sábado.

Aos 34 anos, Djokovic venceu os três primeiros Grand Slam da temporada, erguendo as taças do Aberto da Austrália, de Roland Garros e de Wimbledon, e agora sonha em repetir o feito da alemã Steffi Graf, que em 1988 venceu os quatro principais torneios do circuito profissional - o quarto é o US Open, em Nova York - e ainda faturou o ouro olímpico nos Jogos de Seul, na Coreia do Sul.

"Estou cheio de confiança e motivado para representar a Sérvia da melhor maneira possível. Anseio por uma medalha em Tóquio, espero ouro. Depois irei para Nova York com o objetivo de completar tudo (no US Open)", afirmou Djokovic, que tenta ser o terceiro homem da história a vencer os principais títulos do circuito profissional.

Antes deles, apenas o espanhol Rafael Nadal e o americano Andre Agassi venceram os quatro Grand Slam e o ouro nos Jogos Olímpicos. Porém, estes dois não conseguiram o feito em um mesmo ano, algo que Djokovic sonha em fazer agora em 2021 e que conseguirá se vencer os Jogos de Tóquio-2020 e depois o US Open

Apesar da empolgação pela tentativa de fazer história, ele destaca que o caminho para isso não será fácil. "Embora haja ausências de jogadores de ponta, ainda há muitos deles lá. Gostaria de destacar (o grego Stefanos) Tsitsipas, (o russo Daniil) Medvedev e (o alemão Alexander) Zverev como os três adversários mais difíceis. É um torneio longo e tudo pode acontecer", comentou o sérvio.

Por ter participado dos Jogos Olímpicos três vezes - Londres-2012 e Rio-2016 -, Djokovic tem consciência da sensação de fazer parte da seleção sérvia, tanto nos Jogos quanto na própria Vila Olímpica. "Os Jogos Olímpicos são o maior festival de esportes. Aquela sensação que você experimenta lá não se repete em nenhum outro lugar", comentou.

"Você é um representante do seu país, compete com os melhores atletas do mundo. Os Jogos Olímpicos são diferentes de todas as outras competições porque você está na Vila Olímpica com todos os atletas de diferentes modalidades esportivas e de todos os países do mundo. A sensação de que estamos todos juntos me deu um impulso extra", acrescentou o sérvio.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Olimpíada de Tóquio Tóquio Mundo Tênis

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.