ASSINE

Hatch, sedã, SUV… Saiba como escolher o carro ideal para a família

A família cresceu! É hora de trocar de carro? Saiba como escolher a melhor categoria

Publicado em 02/01/2020 às 14h46
SUVs são bons de revenda, mas porta-malas é limitado. Crédito: freepik
SUVs são bons de revenda, mas porta-malas é limitado. Crédito: freepik

Ao pensar nas melhores opções de veículos para a família, é inevitável ponderar a rotina e as necessidades de todos os membros da casa. Há quem prefira abrir mão do espaço interno e priorizar a economia de combustíveis nos trajetos dentro da cidade. Outros, porém, almejam ter mais conforto para percorrer longos destinos e gastam mais dinheiro para isso. Pra evitar arrependimentos, vale pegar papel e caneta para anotar as principais prioridades.

“É preciso considerar vários fatores do lar, inclusive a estatura de cada pessoa, número de membros e o orçamento disponível. Os carros zero-quilômetro sempre são as melhores seleções do mercado. A maioria das pessoas que não tem o valor pagar à vista opta por financiamento e os juros dos carros novos são mais baratos”, comenta o consultor automotivo Otávio Rheingantaz Gomes. Segundo ele, o público deve verificar se o carro será mais usado em trajetos para o trabalho, escola dos filhos, viagens e em trechos off-road, que exigem suspensão mais alta.

PEQUENOS

Para Fábio Tessarolo, diretor da Oficina Renova, os hatches podem ser boas possibilidades para as famílias pequenas que querem economizar combustível nos trajetos urbanos, que agregam a facilidade de estacionar nas vagas apertadas. ” Esses modelos podem atender a demanda de um casal de jovens que possui um filho, por exemplo, que quer desembolsar uma faixa de preço mais acessível, ainda que o espaço interno seja menor. Os hatches são mais econômicos e o mercado disponibiliza uma gama enorme de marcas e modelos para gostos diversos”, indica.

MAIORES

Se a família não abre mão de ter um porta-malas maior, é melhor não dispensar os sedãs. Entretanto, a procura por esses modelos caiu bastante nos últimos anos e apresenta muito pouco de dificuldade na revenda, ainda mais depois que os SUVs entraram em moda. Para esse público, essas alternativas também são viáveis, porém com bagageiros bem menores”, comenta Otávio. Sobre os carros de sete lugares, ele pondera que são bons para dar carona. “A única vantagem de ter um carro assim é que dá para transportar mais pessoas, mas não são confortáveis nos percursos longos”.

De modo geral, se o foco é comprar um carro para atender o fluxo de viagens com mais conforto e espaço, os sedãs são boas alternativas, menos econômicas comparadas aos hatches. Suprem a demanda das famílias de músicos, que precisam carregar diversos instrumentos, por exemplo, e das que precisam de espaço para colocar bebê-conforto, cadeirinhas e carrinhos de crianças.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.