ASSINE

Audi e-tron GT é lançado mundialmente e chega ao Brasil ainda em 2021

A versão RS do veículo também foi destaque na première completamente digital que marcou a apresentação das novidades da montadora

Publicado em 11/02/2021 às 13h35
Atualizado em 11/02/2021 às 13h35
Audi e-tron GT quattro terá autonomia de até 487 km, a maior entre os elétricos da marca
Audi e-tron GT quattro terá autonomia de até 487 km, a maior entre os elétricos da marca. Crédito: Audi/Divulgação

Os carros 100% elétricos Audi e-tron GT quattro e Audi RS e-tron GT foram apresentados ao mundo em uma première completamente digital na última terça-feira (9). Os dois modelos estão confirmados para o Brasil e chegarão ainda em 2021. Com baixo coeficiente de arrasto, de apenas 0,24, e ótima autonomia, o Audi e-tron GT quattro marca uma nova era na história das quatro argolas.

“O e-tron GT é um gran turismo reinterpretado para o futuro. Sua aparência é um testemunho do novo design automotivo premium. Com uma performance impressionante, ele é a eletromobilidade em sua face mais emocional. E com seu conceito sustentável, ele se impõe”, explica Markus Duesmann, CEO da Audi AG.

Ainda de acordo com Duesmann, não é apenas o conceito do veículo que é sustentável. “Toda a produção na planta de Böllinger Höfe agora é neutra no balanço de carbono. Isto passa um importante sinal para o futuro da Audi.”

O compartimento de bagagem fornece um volume de 405 litros no e-tron GT quattro
O compartimento de bagagem fornece um volume de 405 litros no e-tron GT quattro. Crédito: Audi/Divulgação

DESIGN EXTERIOR

Os dois princípios clássicos de um gran turismo são esportividade e conforto. O projeto do Audi e-tron GT quattro adota esta ideia e acrescenta uma nova perspectiva a ela: a sustentabilidade. No exterior, a grade Singleframe, que possui esquema invertido de cores, possui o emblema Audi na frente, uma indicação clara da tração elétrica. Enquanto a principal finalidade da Singleframe em modelos com motor a combustão é resfriar o motor, no e-tron GT ela oculta a maioria dos sensores. Somente a parte inferior tem aberturas para passagem de ar.

O desenho lateral, com linhas bem marcadas, nasce no capô alongado e para-brisa plano até mergulhar na linha de teto rapidamente inclinada em direção à traseira. As colunas C suavemente inclinadas na área traseira fluem elegantemente nos ombros musculosos da carroceria. O emblema quattro esculpido nos arcos de rodas simboliza a tração elétrica nas quatro rodas. A tração quattro é ainda mais enfatizada pela combinação de um baixo centro de gravidade na principal seção da carroceria e a forte cintura no meio do veículo.

As luzes na traseira estão conectadas por uma faixa plana de luz. Um difusor visualmente descentralizado dá ao e-tron GT um inconfundível visual dentro do portfólio de produtos da Audi. O aerofólio corre em paralelo à faixa de luz e arredonda o visual esportivo.

O Audi e-tron GT tem as dimensões de um gran turismo clássico: com distância entre eixos de 2,90 metros, ele mede 4,99m de comprimento, 1,96 m de largura e somente 1,41 m de altura. O compartimento de bagagem fornece um volume de 405 litros no e-tron GT quattro e 366 litros no RS e-tron GT. Um segundo compartimento de bagagem abaixo do capô dianteiro oferece mais 85 litros de espaço.

AERODINÂMICA

O Audi e-tron GT quattro, com seu coeficiente de arrasto de 0,24, foi desenvolvido em estreita colaboração entre os projetistas e os engenheiros de aerodinâmica. As entradas de ar na seção inferior da frente desempenham um papel fundamental. As cortinas de ar verticais no exterior direcionam o ar nos arcos das rodas do veículo de forma que ele flua perto da roda e então ao longo da lateral.

O segundo fator mais importante no conceito de aerodinâmica ativa é o aerofólio traseiro, que se estende eletricamente em duas posições diferentes, dependendo da situação da condução. Isto permite que o ar flua de modo limpo para a extremidade traseira e a elevação que acontece no eixo traseiro em altas velocidades é quase totalmente compensada.

O e-tron GT quattro acelera de zero a 100 km/h em 4,1 segundos, enquanto o modelo RS precisa de 3,3 segundos
O e-tron GT quattro acelera de zero a 100 km/h em 4,1 segundos, enquanto o modelo RS precisa de 3,3 segundos. Crédito: Audi/Divulgação

POR DENTRO

O interior do e-tron GT destaca esportividade, conforto e extensão em igual medida. O foco mais forte do interior é no motorista, inspirado pela ideia de “monoposto”, uma característica dos modelos esportivos da Audi e do e-tron GT em particular. O painel central é ligeiramente inclinado em direção ao motorista. O display do Audi virtual cockpit plus parece flutuar, enquanto o MMI touch é cercado por um acabamento black piano que fica acima do painel de instrumentos.

O motorista e o passageiro dianteiro se sentem em posição esportiva baixa, separados por um amplo console central. O seletor compacto para as marchas está localizado no console do túnel central. O desenho enxuto enfatiza o sentido leve de espaço e fornece uma experiência de controle altamente precisa. Os bancos traseiros oferecem espaço suficiente mesmo para adultos.

Os bancos são revestidos com uma combinação de couro artificial e material Kaskade ou com uma mistura de couro artificial e material de microfibra Dinamica. Materiais reciclados são usados nos dois casos, como fibras de poliéster que foram feitas de garrafas plásticas usadas, têxteis ou fibras residuais. O material de microfibra Dinamica é similar ao Alcantara, enquanto o Kaskade, cujo projeto de costura é baseado no visual da Singleframe, é criado a partir de fibras naturais como lã.

O e-tron GT quattro e o RS e-tron GT normalmente rodam com tração elétrica nas quatro rodas – somente o modo “efficiency” do Audi drive select prioriza tração dianteira
O e-tron GT quattro e o RS e-tron GT normalmente rodam com tração elétrica nas quatro rodas – somente o modo “efficiency” do Audi drive select prioriza tração dianteira. Crédito: Audi/Divulgação

MOTORES ELÉTRICOS

O novo modelo totalmente elétrico da Audi oferece desempenho dinâmico nas duas versões de motor: o e-tron GT quattro acelera de zero a 100 km/h em 4,1 segundos, enquanto o modelo RS precisa de 3,3 segundos. A velocidade máxima é de 245 km/h e 250 km/h, respectivamente.

O motor elétrico dianteiro no e-tron GT quattro tem potência de 175 kW e o motor traseiro tem 320 kW. Ambos mantêm reserva disponível para situações extremas de condução e é por isso que a soma de suas potências individuais excede consideravelmente a potência total da tração de 350 kW. Até 390 kW estão disponíveis por 2,5 segundos no modo boost via launch control. O torque total é 630 Nm, que sobe para 640 Nm no modo boost. No RS e-tron GT, o motor elétrico no eixo dianteiro também libera 175 kW, enquanto o motor na traseira libera 335 kW. A potência total é 440 kW e o torque total é 830 Nm. No modo boost, a potência aumenta brevemente para 475 kW.

O e-tron GT quattro e o RS e-tron GT normalmente rodam com tração elétrica nas quatro rodas – somente o modo “efficiency” do Audi drive select prioriza tração dianteira. No caso de uma superfície escorregadia, exigências de alta potência ou curvas rápidas, o motor elétrico para a tração traseira também é ativado e por volta de cinco vezes mais rápido do que uma tração mecânica quattro. A tração elétrica nas quatro rodas regula a distribuição do torque de tração entre os eixos – continuamente, totalmente variável e dentro de alguns milésimos de segundo. 

A produção do Audi e-tron GT quattro e RS e-tron GT em Böllinger Höfe tem pegada zero de carbono
A produção do Audi e-tron GT quattro e RS e-tron GT em Böllinger Höfe tem pegada zero de carbono. Crédito: Audi/Divulgação

BATERIA E GESTÃO TÉRMICA

O sistema de bateria de íons de lítio do Audi e-tron GT quattro e RS e-tron GT está localizado entre os eixos, no ponto mais baixo do veículo. Isto fornece um baixo centro de gravidade, apropriado para um veículo esportivo e uma distribuição de peso entre os eixos dianteiro e traseiro que fica muito próximo do valor ideal de 50:50.

A bateria de alta voltagem pode armazenar 85 kWh de energia nos dois modelos. Ela integra 33 módulos, cada um deles compreendendo 12 células com revestimento externo flexível. 30 módulos formam o nível inferior que apresenta um largo recesso na seção traseira, criando espaço para os pés dos passageiros. O nível superior da bateria contém mais três módulos, situados embaixo dos bancos traseiros. As conexões, fusíveis e a principal unidade de controle estão localizados embaixo do console central. A voltagem de 800 Volts do sistema permite alta potência contínua e abrevia o tempo de recarga. Além disso, reduz o peso e espaço necessário para a fiação.

A estrutura interna da bateria que contém os módulos, a estrutura em volta dela e as placas da tampa são feitas de alumínio. O sistema da bateria contribui significativamente para a rigidez e segurança em impactos da carroceria na qual ela está fixada com 28 parafusos. Embaixo deste espaço das células existe uma estrutura composta de seções planas através das quais os fluxos do líquido de arrefecimento circulam em seu próprio circuito de baixa temperatura. A temperatura ideal da bateria fica entre 30 e 35 graus Celsius.

As entradas de recarga do gran turismo estão localizadas atrás das rodas dianteiras. Os dois lados apresentam conexões para corrente alternada (AC) e também existe uma conexão para corrente direta (DC) do lado direito. O e-tron GT pode carregar com 11 kW AC como padrão, o que permite que ele recarregue uma bateria por completo durante a noite. Em um terminal DC com potência adequada, o gran turismo elétrico atinge um pico de capacidade de carga de até 270 kW. Isto permite que ele recarregue até 100 km em pouco mais de cinco minutos. A carga até 80% demora menos de 22,5 minutos em condições ideais.

A bateria de alta voltagem pode armazenar 85 kWh de energia nos dois modelos
A bateria de alta voltagem pode armazenar 85 kWh de energia nos dois modelos. Crédito: Audi/Divulgação

O e-tron GT é o primeiro veículo totalmente elétrico da Audi construído na Alemanha – e-tron e e-tron Sportback são fabricados em Bruxelas, na Bélgica. Ele é fabricado na linha de Böllinger Höfe, na planta de Neckarsulm. As instalações foram expandidas, atualizadas e convertidas para esse novo papel. A fabricação artesanal especializada da instalação anterior foi conservada e é suplementada por processos digitais e tecnologias inteligentes.

A produção do Audi e-tron GT quattro e RS e-tron GT em Böllinger Höfe tem pegada zero de carbono. Como em toda a fábrica de Neckarsulm, a eletricidade é 100% ecológica: uma planta que combina calor e energia elétrica usando biogás fornece o calor necessário. Emissões que ainda não puderem ser evitadas são compensadas com créditos de carbono de projetos de proteção de clima certificados.

Além disso, a produção em Böllinger Höfe evita o uso de papel e embalagens e utiliza sistemas de ciclo fechado. As sobras de chapas de alumínio acumuladas na seção de prensas, por exemplo, durante a produção da estrutura da parede lateral são devolvidas ao fornecedor, onde são recondicionadas e então reutilizadas na Audi.

A Gazeta integra o

Saiba mais
carros Audi Audi e-tron GT

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.