ASSINE

Hamilton rebate racismo de Piquet: 'Vamos mudar a mentalidade'

Em português, heptacampeão da Fórmula 1 comentou as falas racistas de ex-piloto que o chamou de "neguinho" e dispara: "Chegou a hora da ação"

Tempo de leitura: 2min
Publicado em 28/06/2022 às 14h00
Lewis Hamilton é o único negro piloto da Fórmula 1 e caminha para ser o maior da história
Lewis Hamilton é o único negro piloto da Fórmula 1 e caminha para ser o maior da história. Crédito: Reprodução/Instagram

Lewis Hamilton se pronunciou nesta terça-feira após um vídeo com o brasileiro Nelson Piquet o chamando de "neguinho" viralizar nas redes sociais. Escrevendo em português, o heptacampeão de Fórmula 1 pediu foco em "mudar a mentalidade", clamando em seguida pelo fim de atitudes e comentários do tipo no automobilismo.

"Vamos focar em mudar a mentalidade", escreveu Hamilton em portugês, concluindo em inglês logo em seguida. "É mais do que linguagem. Essas mentalidades arcaicas precisam mudar e não têm lugar no nosso esporte. Eu fui cercado por essas atitudes e fui alvo delas a minha vida toda. Houve muito tempo para aprender. Chegou a hora da ação."

Nelson Piquet foi flagrado usando um termo racista para se referir a Lewis Hamilton, em um vídeo de 2021 que circulou nas redes sociais e ganhou repercussão no final de semana. É possível ouvir o ex-piloto chamando o heptacampeão de "neguinho" ao comentar um acidente envolvendo o inglês e Max Verstappen - namorado de sua filha, Kelly Piquet - durante o Grande Prêmio de Silverstone, na Inglaterra.

"O neguinho meteu o carro de não deixou (Verstappen desviar). O neguinho deixou o carro porque não tinha como passar dois carros naquela curva. Ele fez de sacanagem. A sorte dele foi que só o outro se f*deu. Fez uma p*ta sacanagem", criticou Piquet, em entrevista ao jornalista Ricardo Oliveira.

Piquet ainda comparou a batida entre os pilotos da Mercedes e da Red Bull com a polêmica colisão de Ayrton Senna e o francês Alain Prost, principal rivalidade da Fórmula 1 à época, na largada do GP do Japão, em 1990, que garantiu o título daquele ano ao brasileiro. "O Senna não fez isso. O Senna saiu reto", disse.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Racismo Fórmula 1

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.