ASSINE

Melhor alugar imóvel por temporada ou por contrato anual?

Cidades turísticas, como Guarapari, Aracruz e Domingos Martins, são procuradas para locação de curto prazo

Publicado em 03/10/2019 às 11h41
Guarapari é umas das cidades mais procuradas para aluguel por temporada no Estado. Crédito: Marcelo Moryan
Guarapari é umas das cidades mais procuradas para aluguel por temporada no Estado. Crédito: Marcelo Moryan

A dúvida sobre o período de locação costuma aparecer para os donos de imóveis. Antes de tomar qualquer decisão, vale considerar, principalmente, a localização das unidades, e analisar os prós e contras dos formatos de aluguel anuais e por temporada. Se elas ficarem perto de pontos turísticos ou em cidades litorâneas, pode ser que a temporada seja a melhor opção, pois há a chance de gerar maior lucro. Se a casa ou o apartamento estiver em bairros mais afastados, possivelmente, o contrato anual será a melhor saída.

Caso o proprietário não faça uso próprio do imóvel no intervalo de um ou mais anos, o contrato anual será mais vantajoso, indica Augusto César Andreão, diretor da Associação das Em- presas do Mercado Imobiliário (Ademi-ES). “A locação de temporada permite que o dono defina os meses que fará uso do imóvel. Já a locação anual garante um valor locatício mensal pelo período contratual.”

ALTERNATIVAS

Segundo ele, os imóveis tradicionalmente ofertados para a temporada são aqueles que têm pouca procura por locação prolongada. “Em Guarapari, por exemplo, os proprietários encontram dificuldades para alugar imóveis de médio e grande porte para os moradores locais. Nesse caso, eles optam pela lo- cação de temporada.”

Sobre a demanda ocasionada pelo turismo, além do município citado, as cidades de Anchieta, Linhares, São Mateus e Conceição da Barra também estão entre as mais buscadas. “Já na Grande Vitória, por conta da grande variedade de hotéis, o nicho é menor. Verifica-se a locação com essa finalidade em balneários de Serra, sobretudo Jacaraípe, além de Manguinhos", aponta o diretor da Ademi. O aluguel de curto período costuma ser sondado por corporações na Grande Vitória,que atuam dentro e fora do Estado, para abrigar executivos e profissionais. “Esse movimento acontece em menor escala na Região Metropolitana de Vitória, mas é bem usual em outras áreas do Estado, como Aracruz, Linhares e Cachoeiro de Itapemirim.”

NECESSIDADES

Quem adquire imóveis para temporada em regiões turísticas costuma pensar em alugá-los eventualmente para cobrir custos. A escolha final do estilo de contrato depende das necessidades dos locadores e locatários. “De modo geral, a motivação maior da compra é para uso próprio dos donos. O cliente não visa investir para ter re- torno financeiro com a locação. Ele aluga o imóvel para ter renda e ajudar no paga- mento das despesas do imóvel”, acrescenta Augusto.

“O formato de tempo- rada permite que o dono consiga levantar o valor da locação em menos tempo, que é basicamente o mesmo se for anual. Além disso, permite que eles fiquem com o imóvel livre para uso próprio. Porém, precisam ter mais disponibilidade para ficar em contato com os possíveis locatários com maior frequência”, explica Anacéia Paganini, corretora de imóveis da Chamoun Imóveis. Para os locatários, uma das principais vantagens desse modelo de contrato é não assumirem as contas de água, luz, IPTU e condomínio.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.