ASSINE

Imóvel do futuro se torna realidade no mercado

Especialistas apontam que onda de transformações marcará o setor nos próximos cinco anos

Publicado em 05/10/2020 às 09h36
Atualizado em 05/10/2020 às 09h36
Edifício Alice Madeira, em Jardim Camburi
Edifício Alice Madeira, em Jardim Camburi. Crédito: CG Engenharia/divulgação

A automação residencial e mecanismos inteligentes nos lares pareciam pertencer a um amanhã distante. Essas inovações, por exemplo, marcaram presença no imaginário das pessoas quando “Os Jetsons”, clássico desenho animado lançado na década de 60, fez sucesso na televisão. Agora, o futuro se tornou realidade e o mercado imobiliário aposta em empreendimentos mais modernos que podem ter até mesmo espaços apropriados para a entrega de mercadorias via drones, além de se destacarem pela preocupação com o meio ambiente.

Segundo Alexandre Schubert, diretor da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário do Espírito Santo (Ademi-ES), a sustentabilidade, a mobilidade e a adaptabilidade são os eixos que vão determinar a moradia do futuro. “No âmbito da sustentabilidade, o foco será voltado, cada vez mais, para a redução do carbono na produção e o uso cíclico de recursos evitando desperdícios”, ressalta.

Hoje, a energia solar já abastece os equipamentos e áreas de uso comum dos novos prédios. “A geração de energia elétrica fotovoltaica repercute diretamente na queda do valor da taxa de condomínio, pois atende parte do consumo de elevadores e todas as demais cargas elétricas de uso comum”, lembra o diretor-presidente da Galwan, José Luís Galvêas Loureiro.

Recarga de carro elétrico no Joaquim Lírio 333
Recarga de carro elétrico no Joaquim Lírio 333 . Crédito: RS Construtora/divulgação

Em relação à mobilidade, Alexandre acredita que a programação de atividades ficará ainda mais comum pelo celular, além do fluxo intenso de compartilhamento, otimizando as necessidades das pessoas. “A modulação do apartamento de acordo com o momento que as pessoas vão viver será comum. Já é possível comprar um apartamento de um quarto e transformá-lo depois, acrescentando outro quarto”, acrescenta.

A diretora comercial da CG Engenharia, Flávia Gimenes, explica que a habitação assume novos significados hoje em dia, priorizando o conforto e a qualidade de vida no condomínio. “O trabalho de casa está cada dia mais presente, e os moradores também querem mais espaço”, pontua.

Neste contexto, os cômodos devem ser planejados adequadamente para o trabalho e estudo. Para garantir a interação das crianças com o ambiente escolar virtual, por exemplo, pode haver a necessidade de aposta em telas maiores nos espaços de aprendizado. Além disso, a acústica dos imóveis precisa proporcionar conforto e privacidade para todos os moradores.

Espaço para trabalho no Ilhas de Veneza
Espaço para trabalho no Ilhas de Veneza. Crédito: Kemp Engenharia

Alexandre aponta ainda novas mudanças no setor nos próximos cinco anos. “Todos os prédios serão construídos com o recurso de energia renovável, por exemplo. A tendência é que os prédios também não tenham mais porteiros e incluam sistemas de vigilância a distância com monitoramento e patrulha privada”, complementa.

Empreendimentos

  1. 01

    Edifício Alice Madeira (CG Engenharia)

    A poucos metros da praia de Camburi, em Vitória, o condomínio em fase de lançamento terá terraço descoberto privativo, coworking, recarga para carros elétricos, reuso de água e espaço exclusivo para home office.

  2. 02

    Joaquim Lírio 333 (RS Construtora)

    Na Praia do Canto, em Vitória, o empreendimento de alto padrão, em fase de pré-lançamento, terá ponto para recarga para carros elétricos, bikes elétricas, tomadas USB nos apartamentos e captação de água da chuva e de ar-condicionado para irrigação de plantas e limpeza das áreas comuns.

  3. 03

    Ilhas de Veneza Home Design (Kemp Engenharia)

    Na Praia de Itaparica, em Vila Velha, o edifício em obra terá tomadas USB, Wi-Fi zone e itens sustentáveis, incluindo reservatório especial para óleo de cozinha, pilhas e baterias e reservatórios de água pluvial para captação.

  4. 04

    Edifício Málaga (Grupo Mata da Praia/Dacaza)

    Na Mata da Praia, em Vitória, o edifício possui o sistema “pay per use”, tendência mundial com os serviços domésticos terceirizados, como de lavanderia, faxina, arrumação e refeição. O empreendimento conta também com aquecimento solar, medidores individuais de água a gás.

  5. 05

    Crystal Blue (Grupo Opportunity)

    Na Praia do Canto, o empreendimento conta com tomada USB nas suítes e na sala, sistema de infravermelho e Wi-Fi nas áreas comuns, tomadas de carregamento de carros elétricos. Terá fechadura eletrônica com senhas programáveis e biometria na porta de acesso das unidades e espaço delivery para armazenamento de compras.

A Gazeta integra o

Saiba mais
imóveis

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.