ASSINE

Ainda há opções para morar em áreas disputadas

Escassez de terrenos para construção valoriza condomínios vizinhos

Publicado em 04/10/2019 às 10h59

Morar em áreas nobres, para alguns, é meta de vida. Na Grande Vitória, bairros como Mata da Praia e Praia do Canto, em Vitória, e Praia da Costa, em Vila Velha, são visados pelo mercado para a construção de imóveis de alto padrão. Mas os terrenos, principalmente de frente para o mar, são escassos. No entanto, ainda há opções para quem busca esse tipo de moradia, que se tornam ainda mais valorizadas.

“Essas áreas já foram bem aproveitadas, em termos de empreendimentos. Mata da Praia, por exemplo, deve ter dois ou três terre- nos de frente para o mar, as quadras já estão praticamente ocupadas, o que sobrou é muito pouco para absorver esse mercado, que tem demanda e valorização alta”, afirma o presidente da Associação das Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi-ES), Sandro Carlesso.

Praia da Costa, um dos bairros mais nobres da Grande Vitória, ganha novos imóveis . Crédito: Ricardo Medeiros
Praia da Costa, um dos bairros mais nobres da Grande Vitória, ganha novos imóveis . Crédito: Ricardo Medeiros

A Praia do Canto também tem poucas casas com terrenos maiores, que possam ser usados para a construção de edifícios. Em Vila Velha, não é diferente. “A Praia da Costa tem pouquíssimos terrenos. O que tem já está sendo lançado. O mercado caminhou para Itapuã e Itaparica. Ter vista para o mar ainda é um grande atrativo, tanto pela qualidade de vida como pela perspectiva de valorização do imóvel”, ressalta.

EMPREENDIMENTOS

Na Praia da Costa, no final da orla, está em construção o Residencial Mares da Costa, da Javé Construtora. São três torres uma de frente para o mar –, com unidades de quatro quartos, entre 110m² e 253m². “Esse é, possivelmente, o último terreno na orla com possibilidade de edificação deste porte. A área total do empreendimento é de 2.419m², uma raridade. A torre de frente para o mar terá um apartamento por andar”, afirma Jorge Alves, gerente comercial da Javé.

Até mesmo na Praia de Itaparica, que começou a ser explorada mais recentemente, já não são tantas as áreas de frente para o mar. O edifício Mar Dourado é uma das opções prontas para morar, da Galwan Construtora, com unidades de três quartos (82,91m²). “Temos empreendimentos na orla de Itaparica, onde já se vê uma escassez de terrenos. Além disso, o Plano Diretor Municipal (PDM) vai sendo alterado, limitando a altura dos prédios, o que aumenta o custo para novos projetos”,observa Junior Pereira, supervisor comercial da Galwan.

Da mesma construtora, desta vez na Mata da Praia, uma opção é o Solar Mata da Praia, que tem unidades de quatro quartos (154,78m²). No mesmo bairro, de frente para a praia de Camburi, está o Mar Báltico, do Grupo Mata da Praia/Dacaza. São apartamentos de dois quar- tos (70m²).

Outra opção no bairro, para quem deseja viver em casa, é o Reserva Mata da Praia, da RS Construtora, que tem unidades duplex com até cinco suítes, prontas para morar.

No bairro Jardim Camburi, uma opção de frente para o mar é o Mirador Camburi. São apartamentos de até quatro suítes (184m²) e quatro vagas de garagem. “Jardim Camburi é um bairro com excelente estrutura de lazer e serviço e essa vantagem atrai muitas famílias que desejam morar na Capital”, destaca o gerente comercial da Morar, Fillipe Vieira.

Na Praia do Canto, em um dos quarteirões mais valorizados de Vitória, o Grupo Proeng lançou o Edifício Monteiro de Lemos Proeng Home, a poucos metros da praia, na Rua Moacir Avidos. São apartamentos de dois e três quartos (66m² a 130,6m²).

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.