ASSINE

Opinião: Neymar não tem seus caprichos atendidos e terá que ficar no PSG

Neymar forçou uma narrativa que deveria culminar com seu retorno ao Barcelona, mas faltou combinar com presidente do PSG, Nasser Al Khelaifi

Publicado em 03/09/2019 às 18h34

Um dos melhores jogadores do mundo, Neymar sofreu mais um duro golpe. Com o fechamento da janela de transferências no futebol francês na segunda-feira (02), o jogador será obrigado a permanecer no Paris Saint-Germain mesmo contra a sua vontade. Após depositar todos os seus esforços para criar um clima inóspito no time francês e forçar um retorno ao Barcelona, o atacante brasileiro terá que aceitar o fracasso da negociação e voltar a apresentar seu futebol nos gramados franceses. 

Neymar, atacante do PSG. Crédito: Reprodução/Instagram
Neymar, atacante do PSG. Crédito: Reprodução/Instagram

Neymar acumula desfechos conturbados em sua carreira. Em 2013, deixou o Santos rumo ao Barcelona em uma negociação que nunca foi esclarecida. Até hoje os valores estão obscuros e não se sabe ao certo quanto o time catalão pagou pelo craque, que acelerou o processo natural de deixar a equipe santista. 

Em 2017, Neymar deixou o Barcelona e seguiu para o PSG. Mais uma vez prevalecera a vontade do jogador, uma vez que o Barça queria mantê-lo no elenco. Entretanto, em busca de desafios, e visivelmente motivado pelo desejo de deixar a sombra de Messi e ser protagonista em um grande clube, o "Menino Ney" foi para Paris.

Mas dessa vez, Neymar não teve seus caprichos atendidos. Talvez pela primeira vez os mimos do craque não foram atendidos. Declarações aos quatro cantos de amor ao Barça, saudades de Messi e Suárez, e escolha da remontada do clube catalão sobre o PSG na Liga dos Campeões como um momento único em sua carreira. Neymar forçou uma narrativa que deveria culminar com seu retorno ao Barcelona, mas faltou combinar com presidente do PSG, Nasser Al Khelaifi, que não estava interessado em vender o jogador que custou R$ 222 milhões de euros (cerca de R$ 1 bilhão) aos cofres do clube. Nasser colocou suas condições de negócio, não foi atendido e não vendeu. Simples assim. Neymar fica em Paris.

Com 27 anos, idade em que poderia estar em seu auge físico e técnico, Neymar tem chamado mais atenção nos noticiários de polícia, fofoca e celebridades, do que nos espaços destinados ao futebol. Caso Najila Trindade, participação na série La Casa de Papel e muitas publicidades nas redes sociais para enfim chegar na convocação à Seleção Brasileira, onde terá a oportunidade de colocar a cabeça no lugar e focar no futebol, que é o que interessa. Resta saber se aprenderá a lição e voltará a se dedicar ao clube nesta temporada. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
futebol neymar

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.