ASSINE

Morre torcedor capixaba agredido antes de jogo do Flamengo no Rio em 2019

O organizador de excursões Roberto Vieira de Almeida, de 54 anos, foi agredido por torcedores do Peñarol em abril de 2019, na orla do Rio e estava internado há 10 meses. Familiares confirmaram a morte na madrugada desta quarta (19)

Publicado em 19/02/2020 às 11h05
Atualizado em 19/02/2020 às 13h52
Roberto Vieira está internado há seis meses após ser agredido por torcedores do Peñarol. Crédito: Reprodução/Facebook
Roberto Vieira está internado há seis meses após ser agredido por torcedores do Peñarol. Crédito: Reprodução/Facebook

Após quase um ano internado depois de ser agredido na cabeça em uma confusão entre torcedores do Flamengo e Peñarol na orla do Rio de Janeiro, horas antes do confronto entre as equipes pela Libertadores da América, o organizador de excursões capixaba Roberto Vieira de Almeida, de 54 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira (19). A informação foi confirmada por um sobrinho de Roberto.

Trabalhando há mais de 40 anos com excursões para jogos, especialmente do Flamengo e outros clubes cariocas, Roberto e um grupo de torcedores estavam na orla de Copacabana quando uma grande confusão entre membros das duas torcidas ocorreu na tarde do dia 3 de abril do ano passado. O capixaba, que tentava apartar a briga, foi violentamente agredido com uma cadeira na cabeça por um torcedor uruguaio e caiu já desmaiado, como mostra o vídeo abaixo.

Levado às pressas para o Hospital Miguel Couto, no Rio, Roberto teve constatado um quadro grave de traumatismo craniano e entrou em coma. Por um longo período a condição física dele pouco se alterou.

Meses depois, Roberto chegou a acordar, passou a reconhecer alguns familiares e voltou a se alimentar, porém ainda permanecia internado e sem expectativa de alta.

TENTATIVAS FRUSTRADAS

Nesses mais de dez meses de internação, familiares se revezaram nas visitas ao capixaba no hospital carioca e tentavam uma transferência dele para Vitória, onde Roberto e também a família residem. Todas as tentativas, contudo, esbarravam na dificuldade de transportar uma pessoa em condição física debilitada, o que demandaria uma UTI móvel, e ainda a necessidade de um leito de UTI garantido em um hospital de Vitória. A família chegou até a procurar por deputados estaduais no intuito de conseguirem a transferência, porém não avançou.

Bombeiros e populares fizeram os primeiros socorros a Roberto ainda na calçada na orla de Copacabana. Crédito: Reprodução/Twitter
Bombeiros e populares fizeram os primeiros socorros a Roberto ainda na calçada na orla de Copacabana. Crédito: Reprodução/Twitter

Roberto era muito conhecido principalmente na região do bairro Santa Martha, em Vitória, e por torcedores por trabalhar com excursões para jogos de futebol. Ao longo desses mais de 40 anos, ele realizou centenas de viagens e era tido como uma pessoa tranquila e prestativa.

Familiares informaram que o corpo dele deverá chegar ao Estado nesta quinta-feira (20)  para que seja realizado o velório e também o sepultamento. O sobrinho do organizador de excursões informou, ainda, não saber a causa da morte do tio, e que o pai dele e irmão de Roberto, Rubens,  já estava a caminho do Rio de Janeiro para realizar os trâmites necessários para a liberação.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Rio de Janeiro flamengo flamengo futebol

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.