ASSINE

Técnico do Estrela, Vladimir de Jesus lamenta falhas que levaram à eliminação

Treinador afirmou que faltou competência nas finalizações, e que era possível ter superado o Vitória

Rede Gazeta
Publicado em 03/12/2020 às 20h51
Atualizado em 03/12/2020 às 20h51
Técnico do Estrela, Vladimir de Jesus afirmou que foi uma desclassificação amarga
Técnico do Estrela, Vladimir de Jesus afirmou que foi uma desclassificação amarga. Crédito: Fabiano Oliveira/Estrela

O Estrela do Norte se despediu do Capixabão 2020 diante do Vitória, na noite de quarta-feira (02), no Salvador Costa. Mesmo chegando ao jogo de volta das quartas de final com vantagem e precisando apenas de um empate para avançar à semifinal, o Alvinegro sulino sofreu um gol logo aos seis minutos da etapa inicial e teve um jogador expulso, doze minutos depois.

Para o técnico Vladimir de Jesus, a classificação poderia ser alcançada. “Foi um jogo difícil, levamos um gol e perdemos um homem muito cedo. Fisicamente, correndo contra uma vantagem e com um homem a menos, ficou difícil. Amargamos uma desclassificação, em uma ocasião que era muito possível de a gente avançar”, pontuou.

Mesmo com a derrota, o treinador avalia que taticamente a equipe conseguiu se desenvolver em campo e que, até quando esteve com dez jogadores, conseguiu ser melhor que o dono da casa. “Tentamos superar, lutamos até o último minuto. Buscamos os contra-ataques, tivemos chances reais de fazer o gol. Faltou competência na finalização”, ressaltou.

Sobre a expulsão do jogador Raul Muller, autor do gol da equipe no jogo de ida, Vladimir avalia que o futebol prega essas peças sempre. “Um dia você é herói. No outro, é vilão. Ele, que já foi aplaudido pelo gol que nos deu vantagem, hoje é criticado por uma expulsão infantil. Agora é pensar pra frente e ver o que vai acontecer”, destacou.

NO DETALHE

Zagueiro do Estrela, Renato Oliveira também ressalta que a partida foi resolvida no detalhe. “No começo tivemos uma desatenção e levamos o gol. Conseguimos equilibrar o jogo mas infelizmente não conseguimos o gol da classificação. Ficou a lição, mas independente do resultado, sigo orgulhoso do grupo. Agora é seguir em frente”, finalizou. 

*Maiara Dal Bosco é aluna do 23º Curso de Residência em Jornalismo da Rede Gazeta e foi supervisionada pelo editor Filipe Souza.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.