ASSINE

Destilaria capixaba ganha dois prêmios com gin cheio de história

No primeiro ano no mercado, a Zucchi Destilaria conquistou medalhas de prata na Expocachaça e no Spirits Selection by Concours Mondial de Bruxelles, realizado na Bélgica

Tempo de leitura: 4min
  • Zucchi Destilaria

  • Estúdio Gazeta

    O Estúdio Gazeta é o time de produção de conteúdo para anunciantes da Rede Gazeta, com estrutura independente da Redação de A Gazeta/CBN.
Publicado em 16/12/2021 às 10h27
Em novembro deste ano, o gin 743 da Zucchi foi premiado com uma medalha de prata no Spirits Selection by Concours Mondial de Bruxelles, na Bélgica.
Em novembro deste ano, o gin 743 da Zucchi foi premiado com uma medalha de prata no Spirits Selection by Concours Mondial de Bruxelles, na Bélgica. Crédito: Bruno Zamprogno

Sonhos, geralmente, não têm preço, nem tamanho. É o que acredita Ronaldo Zucchi, um dos proprietários de uma destilaria que, segundo ele, não vende destilados, mas comercializa história. Fã de Raul Seixas, Ronaldo batizou a marca com o próprio sobrenome e se inspirou no místico cantor para dar o nome ao seu gin mais premiado. O 743, além de ter sido reconhecido nacionalmente com uma medalha de prata, na Expocachaça, também conquistou um prêmio em uma competição internacional, na Bélgica.

Mesmo com pouco tempo no mercado, já que começou a vender as bebidas em janeiro deste ano, o desejo em fazer produtos de qualidade não é de agora. “Quando eu era criança, meu avô, pai da minha mãe, tinha um alambique, em Castelo, e essa memória afetiva permaneceu comigo ao longo dos anos. Cresci e me tornei um apreciador de uísque e, então, veio o desejo de montar uma destilaria, mas não para ser um negócio, e sim a realização de um sonho. Por isso, digo que não estamos vendendo destilados, mas sim a minha história”, relata Ronaldo Zucchi.

De acordo com ele, começar de forma despretensiosa não foi sinônimo de falta de profissionalismo. Pelo contrário, por estar atrelado a uma forte memória afetiva, o objetivo principal sempre foi produzir com qualidade. Inclusive, para Ronaldo Zucchi, se existe a possibilidade de fazer um gin diferenciado e 100% capixaba, então não há motivos para importar o destilado.

Com um ano de mercado, a Zucchi Destilaria tem como objetivo oferecer produtos diferenciados e sinônimos de qualidade.
Com um ano de mercado, a Zucchi Destilaria tem como objetivo oferecer produtos diferenciados e sinônimos de qualidade. Crédito: Bruno Zamprogno

Por trás do nome do gin, o atual carro-chefe da destilaria, há mais história. Ronaldo conta que a inspiração veio do álbum "Metrô Linha 743”, de Raul Seixas, um projeto feito inteiramente a partir da liberdade artística do cantor, que tinha como único objetivo desenvolver algo que fosse motivo de orgulho, sem se basear nas expectativas da gravadora na época. É com essa mesma vontade - de se dedicar a um projeto de qualidade que fique marcado na vida das pessoas - que Ronaldo Zucchi se motiva na hora de produzir os destilados capixabas.

PRODUÇÃO DIVERSIFICADA

Fã de Raul Seixas, Ronaldo Zucchi batizou a marca com o próprio sobrenome e se inspirou no mítico cantor para dar o nome ao seu gin mais premiado.
Fã de Raul Seixas, Ronaldo Zucchi batizou a marca com o próprio sobrenome e se inspirou no místico cantor para dar o nome ao seu gin mais premiado. Crédito: Bruno Zamprogno

“Não queria fazer nada em grande escala para empreender ou ganhar dinheiro. Meu sonho era ter uma pequena destilaria como distração, porque sempre gostei muito de uísque, então queria fazer algo de requinte e com personalidade. Mas com o feedback positivo, aumentamos o volume e hoje temos gin, rum, limoncello, cachaças especiais e queremos lançar uma vodca no próximo ano”, destaca.

Mesmo com a paixão inicial pelo uísque e a familiaridade com destilados, o processo de produção não é tão simples. O projeto da destilaria começou em 2019, entre cinco amigos. Ronaldo Zucchi contratou um sommelier para ajudar a desenvolver as receitas, comprou os equipamentos necessários e, aos poucos, foi se adaptando às respostas de quem consumia os destilados.

“Um dos meus sócios tem uma destilaria e trabalhou em diversas regiões do país. Ele já tinha o know-how. Mas ficamos surpresos quando ganhamos uma medalha de prata no concurso de destilados em Belo Horizonte, porque foi a nossa primeira vez, então ficamos muito agradecidos”, conta.

RECONHECIMENTO INTERNACIONAL 

O reconhecimento, entretanto, não parou por aí. Em novembro deste ano, o gin 743 da Zucchi também foi premiado com uma medalha de prata no Spirits Selection by Concours Mondial de Bruxelles, na Bélgica, considerado o maior concurso de bebidas destiladas do mundo. A premiação reuniu 23 jurados de várias partes do globo e 1.800 bebidas.

“O que ocorre no gin 743 da Zucchi é que ele é diferenciado desde o princípio. Seja na seleção dos botânicos, seja na seleção do álcool de cereais, sempre procuramos insumos com a melhor qualidade possível”, explica o master distiller da Zucchi, Alberto Seibel, que tem formação como sommelier de destilados e especialização e harmonização com gin pela Associação Brasileira de Sommelier (ABS).

Alberto Seibel tem formação como sommelier de destilados e especialização e harmonização com gin pela Associação Brasileira de Sommelier (ABS).
Alberto Seibel tem formação como sommelier de destilados e especialização e harmonização com gin pela Associação Brasileira de Sommelier (ABS). Crédito: Bruno Zamprogno

O master distiller é mestre alambiqueiro pela Cana Brasil e é formado em tecnologia em bebidas alcoólicas e bebidas fermentadas pela Escola Superior de Cerveja e Malte (ESCM).

Isso também interfere na produção do destilado. Já que enquanto os gins mais comuns no mercado são produzidos com um tempo de infusão padrão, entre 7 a 30 dias, o gin da Zucchi leva em consideração a qualidade dos insumos utilizados. Ou seja, esse intervalo é sempre feito de acordo com a maturação dos botânicos, o que ajuda no aperfeiçoamento da receita.

Segundo Julia Alves Patrício, também sócia da destilaria, a intenção não é focar só no gin, e sim ter vários tipos de bebidas. Em novembro, por exemplo, uma nova cachaça passou a fazer parte do portfólio da Zucchi. O lote da nova bebida é pequeno e passou por um processo de envelhecimento de um ano e dois meses em barris de carvalho francês. 

“Temos como meta continuar crescendo, mas sempre mantendo o nosso conceito de qualidade. Por isso, iremos aumentar a capacidade de acordo com as demandas. Se não estamos satisfeitos com o resultado, nem colocamos no mercado”, aponta Júlia.

Segundo Julia Alves Patrício, também sócia da destilaria, a intenção não é focar só no gin, e sim ter vários tipos de bebidas.
Segundo Julia Alves Patrício, também sócia da destilaria, a intenção não é focar só no gin, e sim ter vários tipos de bebidas. Crédito: Bruno Zamprogno

ZUCCHI DESTILARIA 

Com um ano de mercado, a Zucchi Destilaria tem como objetivo oferecer produtos diferenciados e sinônimos de qualidade. Além dos já conhecidos Gin 743 e o rum Anny Bonny, a expectativa é que para 2022 novos produtos sejam lançados como, por exemplo, uma vodca. “É o começo de grandes conquistas. Nossos processos são artesanais, bem qualificados e viemos para ficar”, finaliza Ronaldo.

Instagram

WhatsApp

Facebook

Endereço

Rua São Pedro, 103 | Jardim Limoeiro | Serra | ES | 29164-042

Site

Este é um conteúdo de responsabilidade do anunciante.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Bebida Alcoólica

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.