ASSINE

Premiação para professores do ES e RJ é destaque em live de A Gazeta

O Prêmio Shell de Educação Científica, que oferece uma viagem a Londres, é um incentivo a profissionais da rede pública que desenvolvem projetos inovadores com seus alunos

Publicado em 15/09/2020 às 17h44
Atualizado em 21/09/2020 às 18h33
Prêmio Shell de Educação Científica
Prêmio Shell de Educação Científica vai ser apresentado para educadores, em live no site de A Gazeta, no próximo dia 22. Crédito: Divulgação/Shell

Em um momento como o atual, de crise sanitária mundial, educação e ciência se mostram ainda mais relevantes. Incentivar e dar visibilidade a quem promove as duas áreas é papel de todos que buscam uma sociedade avançada em conhecimento e, sobretudo, na garantia de direitos fundamentais. Assim, a Rede Gazeta se juntou à Shell para transmitir a “Live Prêmio Shell de Educação Científica”, voltada a professores das redes públicas capixaba e fluminense.

O evento, que vai reunir educadores do porte de Claudia Costin, Mozart Neves e Cesar Callegari , é apenas uma etapa da iniciativa que, desde 2014, visa ao reconhecimento de professores de Ciências, Biologia, Física, Química e Matemática, do Espírito Santo e do Rio de Janeiro, ao premiar projetos inovadores desenvolvidos com os estudantes.

A live será realizada no próximo dia 22, às 17h, e, no bate-papo que poderá ser acompanhado pelo site de A Gazeta, a Covid-19 será tema central. Os especialistas vão debater sobre a importância do conhecimento científico para a reconstrução do mundo pós-pandemia.

Cesar Callegari

Sociólogo e avaliador master do Prêmio Shell

"No fundo, esse prêmio procura dar realce à iniciativa de professores das redes públicas, tanto pelo ensino criativo das ciências e matemática, quanto pelo processo de aprendizagem"

Callegari, também um especialista em gestão de políticas, programas e instituições públicas nos setores de educação, cultura, ciência e tecnologia, avalia que estimular a produção de conhecimento científico é o caminho para a solução de muitos problemas que vivemos, tal qual a Covid-19, e, mais ainda, uma forma de enfrentamento ao que chama de “inimigo oculto”: o negacionismo da ciência.

“Essa prática remonta à Idade Média, quando as pessoas acreditavam que apenas as preces poderiam resolver situações do dia a dia, da vida. Mas as soluções são baseadas em evidências científicas, e a construção desta forma de agir tem que começar desde cedo, a partir da educação infantil, cuidando para que as posturas derivem de evidências e não de crenças. Nenhum de nós pode ficar no campo do achismo; é preciso saber pensar e pensar com método”, frisa.

Esse processo de construção, destaca Callegari, contribui para a formação de um espírito crítico, não apenas para as atividades escolares, mas para a vida. O pensamento crítico e criativo é totalmente necessário para todos e, segundo o sociólogo, permite maior discernimento em um mundo com abundância de informações, muitas falsas ou deformadas.

O Prêmio, portanto, é um estímulo para professores que fazem da sala de aula - presencial ou virtual - um lugar de aprendizado com estratégias inovadoras, pois, na opinião de Callegari, prestigia as respostas criativas que eles são capazes de oferecer, mesmo em momentos adversos como o ano de 2020 tem se mostrado devido à pandemia. Nesse contexto, inclusive,  a inovação se destaca ainda mais, porque inovar não significa fazer algo extremamente elaborado; na verdade é, ainda que de maneira simples, tão somente promover o conhecimento.

Na live, ele aponta, todos esses aspectos serão abordados e, particularmente, os desafios que atingem educadores, estudantes e suas famílias, como as dificuldades de acesso à tecnologia, os problemas decorrentes do isolamento prolongado, os desaprendizados do período e a desigualdade social evidenciada nos últimos meses.

"Os professores, através da experiência prática, promovem a fixação de conceitos em uma visão mais interdisciplinar, e não segmentada. A interdisciplinaridade é um caminho que pode favorecer a recuperação deste tempo longe da escola, que não é um tempo totalmente perdido, porque as vivências de cada um, algumas vezes dramáticas, podem ser matéria-prima no trabalho dos professores. E o Prêmio Shell vem num momento oportuno e valoriza esse profissional", atesta Callegari. 

PREMIAÇÃO

A valorização dos profissionais de Ciências e Matemática é, de fato, o princípio que norteia o Prêmio Shell de Educação Científica há sete anos. A proposta é que o conhecimento científico seja estimulado desde a infância, e a atuação do professor é fundamental para despertar o interesse de crianças e jovens. A premiação é composta por uma viagem educativa a Londres, na Inglaterra, equipamentos para a escola e prêmios em dinheiro, de R$ 4 mil a R$ 8 mil, a depender da colocação.

As categorias são divididas em ensino fundamental II e ensino médio e, neste ano, haverá uma premiação especial para professores que fizeram projetos relacionados à Covid-19.

Para participar, o professor precisa inscrever uma experiência educativa que tenha desenvolvido com duração de pelo menos quatro encontros com seus alunos. Devido à pandemia, projetos on-line também vão ser aceitos.

Todos os inscritos passam por uma comissão de avaliadores que faz a primeira triagem. Depois, seguem para análise dos avaliadores masters, que vão escolher, entre os pré-selecionados, os três vencedores de cada categoria. 

PARTICIPANTES DA LIVE

  1. A Gazeta - gktld98i2j
    01

    Claudia Costin

    Fundadora e diretora do Centro de Excelência e Inovação em Políticas Educacionais da Fundação Getulio Vargas, CEIPE/FGV. Foi diretora global de Educação do Banco Mundial, membro da comissão global sobre o futuro do trabalho da Organização Internacional do Trabalho (OIT), professora da PUC-SP, do Insper, da Enap (Canadá) e, mais recentemente, da Faculdade de Educação da Universidade de Harvard. Foi ministra da Administração e Reforma do Estado, secretária de Cultura do Estado de São Paulo e secretária de Educação do município do Rio de Janeiro.

  2. A Gazeta - zcqif7rmps
    02

    Mozart Neves Ramos

    Educador, escritor e químico brasileiro. Foi diretor de Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna, secretário de Educação de Pernambuco e presidente-executivo do Todos Pela Educação. Foi reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE). Atualmente, é membro do Conselho Nacional de Educação (CNE) e coordenador da Cátedra Sérgio Henrique Ferreira da Universidade de São Paulo (USP). Graduado em Engenharia Química pela UFPE, doutorado em Química pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e pós-doutorado em Química pela Politécnica de Milão – Itália. Em 2008, foi eleito pela Revista Época como uma das 100 pessoas mais influentes do Brasil.

  3. A Gazeta - fqurss6zn
    03

    Cesar Callegari

    Sociólogo, especialista em gestão de políticas, programas e instituições públicas nos setores de educação, cultura, ciência e tecnologia. É presidente do Instituto Brasileiro de Sociologia Aplicada (IBSA) e membro do Conselho Nacional de Educação (CNE), onde é presidente da comissão de elaboração da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e relator da Comissão de Formação de Professores. Foi diretor da Faculdade SESI-SP de Educação, secretário municipal de Educação de São Paulo, Secretário de Educação Básica do Ministério da Educação (MEC), diretor de Operações do SESI-SP e membro do Conselho de Governança do Movimento Todos pela Educação. Na área científica, foi secretário executivo do Ministério da Ciência e Tecnologia e presidente do Conselho da FINEP. Foi deputado estadual por dois mandatos e é autor de vários trabalhos publicados sobre educação pública

SAIBA MAIS

O Prêmio Shell de Educação Científica reconhece e incentiva os professores das áreas de ciências e matemática do Espírito Santo e do Rio de Janeiro, premiando os inovadores projetos de educação dessas disciplinas, e também as experiências educativas frente à Covid-19 que, por meio de metodologias diferenciadas, imprimam novas formas de ensinar e de aprender.

  • Premiação: uma viagem educativa a Londres, na Inglaterra, além de premiações em dinheiro. As escolas dos professores vencedores também são premiadas com equipamentos.
  • Inscrições: até o dia 25 de outubro
  • Mais informações https://psec.shell.com.br/
Educação Ciência

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.