Médicos da Maranata se mobilizam para atender vítimas de Covid-19

Profissionais da saúde voluntários, que também são integrantes da igreja, atendem a distância, por teleconsulta; mais de mil pacientes já foram consultados

Publicado em 21/01/2021 às 09h54
De acordo com o responsável pelo projeto e enfermeiro, Robson Silva de Souza, membros da Maranata de todo o país podem ser consultados pela telemedicina
De acordo com o responsável pelo projeto e enfermeiro, Robson Silva de Souza, membros da Maranata de todo o país podem ser consultados pela telemedicina. Crédito: Arquivo Pessoal

Em tempos de pandemia, um gesto de amor ao próximo está movimentando profissionais da saúde que congregam na Igreja Cristã Maranata no Espírito Santo e no país. Isso porque teleconsultas gratuitas estão sendo oferecidas para os fiéis que estão com suspeita de Covid-19. Ao todo, mais de mil pessoas já foram atendidas pelo projeto desde junho de 2020.

O atendimento é realizado por meio de uma plataforma on-line onde os médicos voluntários atendem a distância às demandas dos irmãos. Com a tecnologia, é possível consultar pessoas de todo o país, como explica o responsável pelo projeto e enfermeiro profissional, Robson Silva de Souza.

“Como temos milhares de membros espalhados pelo Brasil, não podíamos deixar nossos irmãos sem acolhimento neste momento tão difícil. Por outro lado, ajudamos o governo a desafogar o sistema público de saúde fazendo consultas on-line. A tecnologia, junto com a fé, dão um impulso à fraternidade entre todos nós da Igreja”, observa.

Para o médico Luiz César Ferreira Matias, que atua na área há 17 anos e desde junho atende pela plataforma de telemedicina, mais da metade das consultas remotas são para pacientes de fora do Estado, membros da ICM de São Paulo e Minas Gerais.

“Isso aumenta a conectividade entre os membros da Igreja Maranata, fortalecendo os laços cristãos. Nós, médicos, estamos contribuindo assim para diminuir o sofrimento dessas pessoas não só pela medicina, mas também com palavras de conforto”, reforça.

Ainda de acordo com o Luiz César, apesar da plataforma ser exclusiva para Covid-19, quem apresenta sintomas de outras doenças e comorbidades passa por uma triagem, é diagnosticado e encaminhado para a unidade de saúde mais próxima da residência.

COMO FUNCIONA

Os membros da ICM que sentem algum sintoma relacionado à Covid-19 são orientados a procurar o pastor da igreja onde congregam por meio de mensagem eletrônica pelo WhatsApp, ou então por e-mail ou ligação. Dessa forma, não é necessário que tenha deslocamento e contato físico, justamente para evitar um possível contágio.

A partir daí, o pastor faz o agendamento de forma rápida. De acordo com Robson, com a consulta marcada, o médico atende o paciente e chega a um diagnóstico primário. "O trabalho é importante porque previne a evolução da Covid-19 e combate seus sintomas logo no início, já que muita gente está isolada em casa", afirma.

Segundo a secretária do projeto, Cyntia Fernandes Rosseto, a iniciativa surgiu pelo fato de poder ajudar os membros da igreja que estavam com sintomas ou infectados com o vírus, com uma preocupação em poupar a vida dos fiéis e amparar o próximo.

“As consultas são ordenadas por meio de um sistema com se fosse uma clínica on-line. Então tem prontuário eletrônico e o médico registra todo o histórico do paciente que for necessário acompanhar. O paciente relata os sintomas, o médico vai medicar e encaminhar para exames. Se o paciente fizer exame, ele retorna para o médico dar o parecer dele”, detalha Cyntia, que recorreu aos médicos voluntários quando se encontrou em uma situação difícil.

Além de ser secretária do projeto, Cyntia precisou recorrer aos médicos voluntários quando se encontrou com os sintomas da doença. Ao seguir o tratamento adequado prescrito pelos profissionais, ela se recuperou do coronavírus
Além de ser secretária do projeto, Cyntia precisou recorrer aos médicos voluntários quando se encontrou com os sintomas da doença. Ao seguir o tratamento adequado prescrito pelos profissionais, ela se recuperou do coronavírus. Crédito: Arquivo Pessoal

De acordo com a secretária, ela teve os sintomas da Covid-19 relacionados à respiração e, infelizmente, a doença se confirmou. Foi graças ao atendimento no projeto que não foi necessária uma internação. “Eu tenho plano de saúde particular, mas não fui medicada preventivamente. Os dias foram passando, passei por dois médicos e nada. Recorri aos médicos voluntários e eles me medicaram conforme o que eu sentia, um tratamento preventivo”, destaca.

ACOLHIMENTO

Segundo a médica Ana Priscila Lima, que há dois anos atende no Espírito Santo e integra o projeto, os atendimentos são diários, de segunda a sexta-feira, por um período de 4 horas, e com o acompanhamento dos pacientes pós-consulta. Toda a assistência é de graça.

Atualmente, 17 médicos atendem no projeto, sendo 16 voluntários e uma médica recém-contratada. A iniciativa teve início com a publicação da Circular 104/20 no mês de junho do ano passado, direcionada aos cuidados dos pastores da Igreja.

Para Ana Priscila, muito mais que o atendimento médico, a telemedicina acaba cumprindo um papel social de acolhimento. "Temos que estar preparados para também levar conforto para os nossos irmãos. Muita gente, além de um diagnóstico, precisa de uma palavra amiga, de abrigo do corpo e da alma", ressalta.

Segundo a médica Ana Priscila Lima, integrante do projeto da ICM, os atendimentos são de segunda a sexta-feira e toda a assistência é gratuita.
Segundo a médica Ana Priscila Lima, integrante do projeto da ICM, os atendimentos são de segunda a sexta-feira e toda a assistência é gratuita. Crédito: Arquivo Pessoal

De acordo com o médico José Roberto Nogueira, membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular e professor de Medicina pela Universidade de Vila Velha, a Covid-19 é uma enfermidade trifásica. Segundo o especialista, a doença é viral, inflamatória e fibrótica.

“Tempo é vida. Diagnóstico precoce e intervenção imediata com utilização de protocolo confiável propicia prognóstico favorável”, explica José Roberto.

José Roberto Nogueira é membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular
José Roberto Nogueira é membro titular da Sociedade Brasileira de Cirurgia Cardiovascular. Crédito: Arquivo Pessoal

MEDICINA VOLUNTÁRIA

Campeão no atendimento voluntário aos membros da Igreja Cristã Maranata em tempos de pandemia, o médico Sérgio Luiz Barrote, que tem especialização em Cardiologia, Ecocardiografia, Geriatria e Nutrologia, afirma que já atendeu mais de 600 pacientes pela plataforma de telemedicina, além de ter realizado cerca de 500 consultas por mensagem eletrônica.

“A iniciativa da Igreja Cristã Maranata de oferecer serviços de telemedicina para todos os seus membros foi muito importante e oportuna. Diversos médicos da ICM de diferentes especialidades foram voluntários e disponibilizaram seus conhecimentos e tempo para o atendimento on-line. Foi formado um grupo de WhatsApp entre os médicos e foram compartilhados diversos artigos científicos para o tratamento precoce da Covid e orientações para os pacientes e seus familiares”, revela.

Sérgio Luiz Barrote é o médico campeão de atendimentos no projeto. Já são mais de 600 pacientes atendidos de forma voluntária pela plataforma on-line
Sérgio Luiz Barrote é o médico campeão de atendimentos no projeto. Já são mais de 600 pacientes atendidos de forma voluntária pela plataforma on-line. Crédito: Arquivo Pessoal

Morando em Belo Horizonte, Sérgio Luiz trabalha em um hospital da Capital mineira, onde faz exames de imagem (ecocardiograma e ultrassonografia vascular) em diversos pacientes com Covid que estão internados tanto nos apartamentos como no CTI. Todo esse cuidado e tratamento desenvolvido com os pacientes também são oferecidos de graça pelo médico que tem se dedicado no combate ao coronavírus.

Covid-19 Telemedicina

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.