ASSINE

60 anos de carreira literária de Carlos Nejar

Nejar é pastor da Igreja Cristã Maranata e membro da Academia Brasileira de Letras e de Filosofia

Publicado em 17/07/2020 às 19h02
Atualizado em 18/07/2020 às 11h53
. Crédito: Freepik

PREÂMBULO

Esta publicação é parte de um testemunho poético e profético, publicado em 2003, em um livro do pastor, poeta e membro da Academia Brasileira de Letras, Carlos Nejar.

OS FIÉIS DA TERRA – IGREJA CORPO DE CRISTO

Este artigo é parte de um testemunho publicado em 2003 em livro do pastor e membro da Academia Brasileira de Letras, Carlos Nejar

O Pastor pregava sobre o corpo da Igreja, que são os fiéis da terra, os que adoram o Deus vivo, em Espírito e Verdade. Um corpo só e um só Espírito. Prevendo generoso avivamento pelos ramos da árvore, para que não ocorra conosco que, “ao pensar lutar com homens, estejamos combatendo a obra de Deus”. E o que dizia às ovelhas tinha chamas com água dentro. E Deus estava com ele.

– “Bem-aventurados sereis quando vos odiarem, e quando vos expulsarem, vos injuriarem e rejeitarem os vossos nomes como indignos por causa do Filho do Homem. Folgai nesse dia, exultai, porque grande é o vosso galardão no céu. Pois assim fizeram os seus pais para os profetas.” Essas palavras, que também habitaram a pregação do Pastor, ficavam reboando. E se a morte foi vencida pelo Cordeiro, como Jonas do ventre do Peixe, um dia emergiremos. A luz não é sozinha. E se não bebermos escuridão, a alma jamais se tornará escuridão.” E Letícia me observou:

– A treva é a aterradora nostalgia da luz!

– E o gênero humano – eu disse – não pode crescer sem ela.

– Não cresce! E o nosso tesouro é povoado de passarinhos, pois o fariscam antes de todos. Outras vezes, apenas sabemos o que temos – Letícia salientou.

– E bebemos a água da salvação, a que podemos beber mais de duas vezes no mesmo rio – acresci. Em outro culto a que assistíamos, os olhos do Pastor, embevecido, caíram na Carta de Paulo aos Efésios (5:14), que leu, falando grosso, possante: “Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te iluminará.” E continuou ganhando velocidade, aos poucos, enquanto lá fora a água barulhava, a perna da chuva engrossando, como a voz do pregador. Quando a perna da chuva caminhava, o céu caminhava. “Há os vivos-mortos e os mortos-vivos. Aqueles morreram para o mundo com Cristo e com Ele viverão. Esses estão na morte adormecidos e não sabem. São mortos que só na aparência respiram. São almas mortas dos vivos. E Deus tira leite de pedra, tira pedra do leite, tira leite da chuva. E os que crerem Nele, ainda que mortos, viverão. E a palavra revelada acorda os que dormem. E é a voz do Espírito nesta hora: Levanta-te! Levanta-te! Levanta-te e anda! O ato de agir é palavra. Levanta-te e resplandece, já vem a tua luz e a glória do Senhor está nascendo sobre ti. E o Rei, em breve, virá!” Os fiéis eram arrastados pela voz esfuziando com as trovoadas. E o povo ouve os ocultados sentidos e se guia pelos sinais. O Espírito não mente, o esquecimento sim. E palavra puxa sonho, puxa pássaros, puxa serões de lume, puxa a memória, puxa e acalma a tempestade. A palavra puxa Deus.

Letícia e eu escutamos e vimos. A chuva parou de respirar no som da noite. E a palavra puxa a noite. Aonde iremos nós? A palavra nos puxa também e somos serenados.

– A minha memória está repleta de pássaros. E não é uma árvore, é um ninho na rocha – falou Letícia.

A rocha – perguntei – não é a memória dos pássaros?

Letícia confirmou, ajuntando:

– A memória respira, mesmo que nem tudo o que respire esteja vivo!

– O que está vivo necessariamente respira – eu disse. E a noite respirava pela boca das estrelas. Como um fojo encantado de vaga-lumes.

Pr. Carlos Nejar – Do Grupo “Ciência e Fé”, da Igreja Cristã Maranata. É escritor e membro da Academia Brasileira de Letras e Academia Brasileira de Filosofia.

Este assunto será reportado no sábado, às 7h, e no domingo, às 14h, no programa Anunciando o Evangelho Eterno, transmitido pela TV!

Estamos à disposição para esclarecimentos, ou até mesmo comentários sobre este artigo. Será uma alegria receber seu contato pelo e-mail: [email protected]

Carlos Nejar: “Vejo pela fé que trilhamos um caminho que se aproxima de algo transformador”
Pastor Carlos Nejar faz parte do grupo “Ciência e Fé” da Igreja Cristã Maranata. Crédito: Arquivo Pessoal

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.