ASSINE

Coronavírus: Cachoeiro de Itapemirim faz 153 anos, mas festa é cancelada

As comemorações deste ano foram canceladas pela prefeitura para evitar aglomerações e disseminação do coronavírus

Publicado em 25/03/2020 às 17h04
Cachoeiro de Itapemirim
Cachoeiro de Itapemirim. Crédito: Reprodução/Instagram

Por conta das medidas de distanciamento social impostas, para evitar a propagação do novo coronavírus (Covid-19), as atividades em comemoração a emancipação de Cachoeiro de Itapemirim, no Sul do Estado, tiveram de ser canceladas. Nesta quarta-feira (25), o município completa 153 anos de quando foi, oficialmente, reconhecido como um município independente da, então, Vila de Itapemirim.

As comemorações deste ano foram canceladas pela prefeitura para evitar aglomerações e disseminação do coronavírus. O prefeito Victor Coelho disse que o dia é de comemoração, mas também de reflexão.

“Esta data nos inspira alegria e reflexão sobre os rumos da nossa cidade e do mundo. Neste momento, o melhor que todos nós podemos fazer para celebrar os 153 anos de Cachoeiro é ficar em casa e evitar aglomerações. Entretanto, trata-se de uma situação passageira, ainda que seja muito difícil. Certamente, teremos muitos anos para celebrar o nosso município. Viva Cachoeiro de Itapemirim!”, afirma o prefeito Victor Coelho.

Estação ferroviária de Cachoeiro de Itapemirim
Estação ferroviária de Cachoeiro de Itapemirim. Crédito: Divulgação/PMCI

HISTÓRIA

Antes de 25 de março de 1867, dia da emancipação, a colonização do território de Cachoeiro teve início, oficialmente, no ano de 1812. O donatário da capitania do Espírito Santo, Francisco Alberto Rubim, recebeu a tarefa de desenvolver o povoamento, em nosso Estado, nesta região, habitada pelos índios puris e botocudos. O grande dado motivador, no século XIX, era o ouro descoberto no espaço que compreende, hoje, o município de Castelo.

Entretanto, as primeiras casas no arraial de Cachoeiro foram levantadas no início de 1846, na altura do atual bairro Baiminas. O nome do município, inclusive, faz menção aos cachoeiros ou cachoeiras do rio Itapemirim. O termo Itapemirim deriva do tupi-guarani e seu significado é “caminho da pedra pequena”. Antes da emancipação, a cidade também chegou a ser denominada como São Pedro de Cachoeiro de Itapemirim, São Pedro do Cachoeiro de Itapemirim e Cachoeira de Itapemirim, dentre outras variações de grafia.

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.