ASSINE

Ivan Carlini no comando pela 6ª vez na Câmara de Vila Velha

O vereador do DEM tomou posse nesta quarta-feira (2) e para justificar sua permanência disse que "só troca quando não presta"

Publicado em 02/01/2019 às 21h36
Ivan Carlini tomou posse novamente nesta quarta-feira (2). Crédito: Leo victor/câmara de vila velha
Ivan Carlini tomou posse novamente nesta quarta-feira (2). Crédito: Leo victor/câmara de vila velha

Aos 56 anos, o vereador Ivan Carlini (DEM) tomou posse de seu 6º biênio como presidente da Câmara de Vila Velha nesta quarta-feira (2). Com isso, ao final de 2020 terá acumulado não só 28 anos consecutivos de mandato, como também 12 anos no comando do Legislativo canela-verde. Seu plano daí por diante é estrear no Executivo como prefeito da cidade, mas ainda assim ele é enfático ao defender seu reinado: “A troca às vezes é prejuízo”, afirma.

Encabeçada por Carlini, a nova Mesa Diretora da Câmara de Vila Velha é composta por Valdir do Restaurante (1º vice-presidente); Adeílson Hortisuper (2º vice-presidente); Patrícia Crizanto (1ª Secretária); Mirim Montebeller (2º Secretário); e PM Chico Siqueira (3º Secretário).

Para justificar sua permanência, o presidente, eleito mais uma vez em chapa única, argumenta que deve se manter no poder enquanto der resultados positivos. “Por que todo ano eu devolvo dinheiro? Porque eu sou bom, eu respeito o dinheiro público, sou um homem sério, o dinheiro não é meu, é do povo. Só troca quando não presta, enquanto eu estou dando certo eu acho que o povo tem que bater palma para mim.”

Ao mesmo tempo, o demista enumera alguns de seus feitos: “A Câmara não dá aumento a vereador desde quando eu assumi como presidente. Tinha verba de gabinete, eu cortei. A Câmara não tem carro, gasolina não tem nada. Eu acho que um vereador não pode querer sobreviver de mandato de vereador, ele tem que sobreviver de melhora para as nossas comunidades".

GOVERNISTA

Carlini foi eleito presidente do Legislativo pela primeira vez em 2009, passando pelos prefeitos Neucimar Fraga (PSD), Rodney Miranda (DEM) e Max Filho (PSDB). Durante todas as suas gestões, trabalhou alinhado ao Executivo. Segundo ele, a posição permanente de governista não faz com que os interesses da população sejam deixados de lado em função de interesses políticos.

“Se você fizer oposição ou crítica, quem é prejudicado é o povo. O povo quer solução. E eu fui eleito para isso, para ajudar a resolver os problemas da cidade”, destaca. Por outro lado, ele também pondera: “Todos os prefeitos pelos quais eu passei, tanto o Neucimar, o Rodney, o Max Filho, mandaram projetos de interesse da comunidade. Mas o dia que mandarem um projeto que não atenda aos interesses, eu não vou aprovar.”

Ivan Carlini foi camelô e motorista do governo federal (cargo que ainda possui) antes de se tornar vereador, tendo como principal reduto eleitoral a região da Grande Cobilândia. Mas, ao longo dos mandatos, não passou imune a escândalos.

Em 2002, foi acusado junto com o ex-deputado José Carlos Gratz de ter asfaltado ruas do bairro Cobilândia com recursos desviados da Assembleia. Depois, foi inocentado por falta de provas. Já em 2011, o Tribunal de Contas apontou irregularidades nos gastos da Câmara. A verba que deveria ser para custeio de gabinete estava sendo utilizada para pagar até moquecas e casquinhas de siri.

DE OLHO NA PREFEITURA

Ele, que já havia anunciado sua intenção de se aposentar, voltou atrás e agora segue firme com a intenção de disputar a prefeitura de Vila Velha em 2020.

Sua motivação, segundo ele, partiu da vontade popular. “Os quatro cantos de Vila Velha falam: ‘Ivan, é sua vez de ser prefeito, você mora no bairro até hoje, você não perdeu as origens’. Eles querem um prefeito assim, um prefeito de bairro, um prefeito bom e é isso o que eu vou ser”, já adianta.

Enquanto o pleito não chega, o próximo biênio da Câmara seguirá sem mudanças significativas. Segundo Carlini, não há expectativas para a realização de reformas administrativas e o apoio aos projetos do prefeito Max Filho segue garantido.

“Vila Velha é um município grande, cheio de problema e com pouca receita. Como cobrar do prefeito se ele não tem dinheiro? Ele quer fazer, mas depende do governo estadual, federal, dos deputados, dos senadores. O que o Legislativo pode fazer é ajudar o prefeito naquilo que ele precisar em benefício das comunidades”, pontua.

ELEIÇÕES NAS CÂMARAS

Além de Ivan Carlini em Vila Velha, os presidentes das Câmaras municipais da Grande Vitória para este biênio já estão definidos. Na Câmara de Cariacica, a eleição ocorreu na manhã desta terça-feira (1º), em sessão extraordinária. A chapa única de Cesar Lucas (PV) venceu a eleição, reelegendo o vereador para o cargo. Em outra sessão, que ocorreu em sequência, o presidente eleito foi empossado.

No mesmo dia ocorreu a cerimônia para empossar Cleber Felix (PP) como presidente da Câmara de Vitória. Já na Serra, o presidente Rodrigo Caldeira (Rede) - que havia assumido o comando da Casa após o afastamento da então presidente Neidia Pimentel (PSD) - foi reeleito ainda em 2018, já que a eleição da Mesa Diretora foi antecipada para junho por ordem judicial.

A Gazeta integra o

Saiba mais
vila velha

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.