ASSINE

FHC diz que foi um erro Moro aceitar ser ministro de Bolsonaro

O tucano disse que Moro não tem características de um político, e que deveria aspirar ser ministro do Supremo Tribunal Federal

Publicado em 05/09/2019 às 14h28
Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso . Crédito: Ricardo Medeiros
Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso . Crédito: Ricardo Medeiros

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) disse que se estivesse na situação do ministro da Justiça, Sergio Moro, se demitiria. Em entrevista a ao programa Conversa com Bial, da TV Globo, na madrugada desta quinta-feira (5), FHC afirmou considerar "um erro ele [Moro] aceitar ser ministro", concordando com o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), que também era entrevistado. 

O tucano disse que Moro não tem características de um político, e que "deveria aspirar ser ministro do Supremo Tribunal Federal (STF)". 

"Não sei o que ele deveria fazer, isso é problema dele. [...] Acho que ele aceitou [ser ministro da Justiça] por motivos explicáveis, para evitar de tentarem abafar a Lava Jato, mas ele viu que as coisas são diferentes. Se eu fosse ele, eu estaria fora", disse FHC. 

MENSAGENS VAZADAS

Pedro Bial perguntou a Fernando Henrique sobre a mensagem vazada de Sergio Moro ao procurador Deltan Dallagnol, em que o atual ministro da Justiça cita o ex-presidente e fala em evitar melindrá-lo. FHC respondeu que não foi melindrado, tanto que a investigação sobre ele foi realizada. 

FHC disse que não foi consultado sobre a entrada de Alexandre Frota no PSDB e que considera um retrocesso a entrada do deputado nos quadros do partido. Sobre a exclusão de membros do partido, tampouco foi consultado, afirmou, e apenas deu sua opinião no Twitter.

O ex-presidente disse que é contra a privatização da Petrobras. Considera que a abertura do mercado - feito em seu governo - foi o suficiente para quebrar o monopólio estatal.

Perguntado sobre a oposição ao governo atual, FHC respondeu que a "mídia tradicional tem mostrado os equívocos do atual governo", e deveria se preocupar em discutir o que "é importante para o país".

OPOSIÇÃO

Após Bial perguntar novamente sobre a oposição, da qual Randolfe Rodrigues é representante, o ex-presidente disse que ela faz o seu papel, e que deve escolher quando se pronunciar.

Rodrigues, por sua vez, respondeu que considera Fernando Henrique, presidente de honra do PSDB, muito mais progressista que o restante dos tucanos. 

Este vídeo pode te interessar

O senador do Amapá pela Rede, lembrou que no início da carreira, na juventude do PT, gritou por muitas vezes "fora FHC". Ao lado do ex-presidente tucano, mais de vinte anos depois do governo tucano, destacou que a estabilidade da moeda brasileira e a recuperação da economia brasileira foram alcançadas no governo do PSDB. 

A Gazeta integra o

Saiba mais
fernando henrique cardoso jair bolsonaro sergio moro

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.