ASSINE

Evento com Luciano Huck e Hartung prega apoio a novas lideranças

Fortalecimento de movimentos cívicos e fim de radicalismos à esquerda e à direita estão entre as ideias apresentadas durante palestra em Vila Velha

Publicado em 26/08/2019 às 17h01

Eduardo Mufarej, Paulo Hartung, Tayana Dantas e Luciano Huck em evento em Vila Velha

No evento em que o apresentador da TV Globo Luciano Huck fez críticas ao governo de Jair Bolsonaro, outras lideranças pregaram saídas para melhorar a qualidade da representação política no país. Entre as ideias apresentadas, o fortalecimento de movimentos cívicos para preencher vazios deixados por partidos políticos e o fim de radicalismos à esquerda e à direita.

O fundador do RenovaBR, movimento patrocinado por Luciano Huck, é Eduardo Mufarej. O empresário apresenta-se como alguém que decidiu dar a parcela de contribuição para melhorar a qualidade do debate político "sem pedir nada em troca". Por vezes criticado por criar infiéis aos partidos, o movimento que ele lidera elegeu 17 parlamentares - deputados estaduais, federais e senador - no ano passado.

"Criamos um programa apartidário focado em identificação e formação de talentos para que a gente possa de fato viabilizar a participação do cidadão comum na política sem depender da mão de partido, sem depender de político corrupto, sem depender de alguém que vai te pedir a conta no dia seguinte porque acha que está te fazendo um favor, sendo que seu principal objetivo é servir ao seu país", disse Mufarej.

Entusiasta de movimentos como o RenovaBR, o ex-governador Paulo Hartung (sem partido) avaliou que os partidos políticos, por meio de suas fundações, não têm sido bem-sucedidos na construção de novos líderes. E somente líderes podem implementar as boas políticas públicas que vão melhorar a vida dos brasileiros.

"O partido, que é fonte de formação de líderes, não foi usado para formar lideranças. Os movimentos cívicos, como o RenovaBR e outros, estão ocupando esse vazio. Com uma mão, precisamos redesenhar políticas públicas. A boa notícia é que não somos um deserto de ideias e de propostas. Mas tem um elemento importante: não se escala essas políticas públicas sem o exercício da liderança", disse.

RADICALISMO

Hartung lembrou que a onda de radicalismos, à esquerda e à direita, não é exclusiva do Brasil. A consequência disso, para ele, é o debate com olhos voltados "para trás" e, vez ou outra, com "valores medievais". Como alternativa, defende debate qualificado.

"Esse radicalismo não está presente só aqui. E qual a vacina para ele? É o debate aberto, o debate de ideias. É valorizar a democracia não de maneira tática, mas de maneira estratégica. É valorizar a política como ferramenta transformadora. Não jogar fora a água suja do banho e a criança. Precisamos qualificar a política. O nome de solução simples para problema complexo é populismo", opinou.

O evento foi realizado pela Universidade de Vila Velha (UVV), por meio da herdeira da universidade, a empresária Tayana Dantas. Integrante do RenovaBR e fundadora do Movimento Vila Nova, ela é cotada para concorrer à prefeitura canela-verde no ano que vem.

"É esse tipo de debate que precisamos, um debate maduro. Através de debate de políticas públicas, e não de paixões, que a gente vai conseguir avançar e fazer do Brasil um lugar melhor", comentou.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.