ASSINE

Empresário pagou entradas para Cirque du Soleil a prefeito, diz MPES

O MPES suspeita que Tininho também tenha recebido propina para viabilizar a contratação de serviços de empresa de limpeza pública na cidade.

Publicado em 09/05/2019 às 13h44
Tininho Batista, prefeito de Marataízes. Crédito: Reprodução/Facebook
Tininho Batista, prefeito de Marataízes. Crédito: Reprodução/Facebook

O prefeito de Marataízes, Robertino Batista, o Tininho, esteve em São Paulo, no mês passado para um mergulho cultural. Assistiu a apresentações de O Fantasma da Ópera e do Cirque du Soleil. As entradas foram pagas por empresários alvo da Operação Rubi, do Ministério Público Estadual.

Tininho viajou com a esposa. Os dois empresários levaram suas respectivas companheiras. O passeio foi entre 26 e 28 de abril.

O MPES suspeita que Tininho também tenha recebido propina para viabilizar a contratação de serviços de empresa de limpeza pública na cidade.

A casa dele foi alvo de mandado de busca e apreensão na manhã desta quinta-feira (09). Os investigadores encontraram R$ 16,4 mil em espécie.

Do total encontrado, R$ 3 mil estavam dispostos de maneira semelhante ao montante entregue na quarta-feira na casa da prefeita de presidente Kennedy, Amanda Quinta: agrupados em notas de R$ 100.

O prefeito de Marataízes acabou preso porque os investigadores encontraram uma arma mantida ilegalmente na casa. Robertino Batista passou fiança e foi solto. 

O MPES havia pedido o afastamento de Tininho das funções. No entanto, a solicitação foi indeferida pela Justiça.

marataízes operação rubi

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.