ASSINE

Em meio ao negacionismo, políticos do ES posam para fotos para incentivar vacinação

Figuras públicas e lideranças políticas como o governador Renato Casagrande, o ex-governador Paulo Hartung e prefeitos têm divulgado vídeos e fotos do momento em que são imunizados contra a Covid-19

Vitória
Publicado em 23/04/2021 às 02h03
Atualizado em 23/04/2021 às 14h47
Casagrande, Hartung, Guerino Zanon, Vidigal, Coser e Balestrassi
Políticos capixabas postam fotos no momento da vacinação para incentivar população: governador Renato Casagrande; ex-governador Paulo Hartung; prefeito de Linhares, Guerino Zanon; prefeito da Serra, Sergio Vidigal; ex-prefeito de Vitória João Coser e prefeito de Colatina Guerino Balestrassi. Crédito: Montagem A Gazeta

Em 28 de outubro de 1956, o astro americano Elvis Presley subia no palco do programa de TV The Ed Sullivan Show, um dos mais famosos nos Estados Unidos. Naquele dia, o rei do rock não apenas cantou, mas foi vacinado contra a poliomielite, ao vivo, para milhares de telespectadores.

Na época, os Estados Unidos enfrentava uma onda da doença, mas a desconfiança a respeito da vacina era grande. A atitude de Elvis Presley incentivou muitos jovens a se vacinar e, segundo registros da época, fez com que as taxas de vacinação crescessem 80% em apenas seis meses.

Mais de seis décadas depois, a mesma estratégia é usada por políticos e artistas brasileiros. Para encorajar a população a se vacinar contra a Covid-19, doença que já matou mais de 380 mil pessoas no Brasil, eles têm divulgado fotos e vídeos no momento da vacinação.

Isso também tem sido registrado no Espírito Santo. Figuras públicas e lideranças políticas nas faixas etárias já contempladas pela primeira dose da vacina, como o governador do Estado, Renato Casagrande (PSB), e o ex-governador Paulo Hartung, por exemplo, fizeram questão de divulgar o momento em que foram imunizados.

A atitude visa incentivar a vacinação no Estado, ante um cenário em que muitos duvidam da eficácia das vacinas, a reboque do discurso propagado, por muito tempo, pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). 

O chefe do Executivo federal mudou a postura recentemente e, agora, defende a vacinação. Ele, contudo, ainda não se vacinou, mesmo pertencendo a uma faixa etária prioritária. A mudança no comportamento foi acompanhada por políticos bolsonaristas no Espírito Santo, que também passaram a pedir para que as pessoas se vacinem. 

Desde o início da pandemia, Bolsonaro tem minimizado o novo coronavírus. Além de não cumprir medidas indicadas para redução do contágio, como distanciamento social e uso de máscara, o presidente defende o tratamento de pacientes com a hidroxicloroquina, medicamento que não tem eficácia comprovada contra a Covid-19 e provoca efeitos colaterais graves.

Com a incipiência da vacina da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan, em São Paulo, Bolsonaro tentou desestimular a vacinação. Disse que não se responsabilizaria pelos efeitos da vacina, criou dúvidas em relação à eficácia e até mesmo sobre o fabricante. Apelidou a Coronavac de "vacina chinesa".

A postura negacionista do presidente refletiu no comportamento da população. A exemplo do presidente, muitas pessoas ainda se recusam a usar máscaras e defendem o tratamento precoce contra a Covid-19, mesmo sem qualquer baseamento científico. A eficácia da vacina gerou desconfiança e alimentou discursos contra a vacinação.

No Espírito Santo, a narrativa foi propagada por políticos bolsonaristas como o deputado estadual Capitão Assumção (Patriota), que passou a se referir à Coronavac como vacina chinesa. Já a deputada federal Soraya Manato (PSL) não divulgou que havia se vacinado em fevereiro, antes de Bolsonaro se posicionar a favor da imunização, o que ocorreu em março. 

Para combater o negacionismo e convencer as pessoas da importância da vacinação, políticos capixabas começaram a posar para fotos quando eram imunizados. Na última semana, o governador Renato Casagrande (PSB) recebeu a primeira dose da vacina em Vitória e gravou um vídeo incentivando a população. 

"A pandemia acontece em todo o mundo e temos que estar em sintonia e respeitando a ciência", disse, em uma publicação no Instagram, em que agradeceu aos profissionais de saúde e disse que eles estavam salvando as vidas das pessoas.

Quem também encorajou as pessoas a se vacinarem foi o ex-governador Paulo Hartung (sem partido), uma das primeiras lideranças políticas do Estado a divulgar que havia recebido a primeira dose. Em uma publicação no Twitter, no dia 10 de abril, Hartung postou uma foto sendo vacinado, exaltou a ciência e disse que torcia para que todos os brasileiros fossem vacinados.

O mesmo foi feito pelo ex-prefeito de Vitória João Coser (PT) e prefeitos no exercício do mandato, como Guerino Zanon (MDB), em LinharesGuerino Balestrassi (PSC), em Colatina, e Sergio Vidigal (PDT), na Serra.

"Acreditar na ciência é se vacinar. É aquilo que a gente faz quando nasce um filho da gente. A primeira coisa que a gente faz é vacinar os filhos, porque a gente acredita na ciência. Então, estou muito feliz de ter chegado a este momento", disse.

Prefeito de Linhares, Guerino Zanon (MDB) é vacinado contra a Covid-19
Prefeito de Linhares, Guerino Zanon (MDB) é vacinado contra a Covid-19. Crédito: Reprodução | TV Gazeta Norte

MUDANÇA NO DISCURSO BOLSONARISTA

Com exceção da Coronavac, considerada como a vacina do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), adversário político de Bolsonaro, os imunizantes passaram a ser usados como propaganda do governo federal. A mudança de discurso veio após o presidente ser alertado pela própria base e pela equipe econômica do governo que estava perdendo popularidade devido ao atraso da vacinação.

No dia 23 de março, durante pronunciamento em cadeia nacional, Bolsonaro defendeu a vacina e prometeu que todos os brasileiros estariam imunizados até o fim do ano. A narrativa foi incorporada por deputados bolsonaristas e figuras políticas que defendem o presidente.

O deputado federal Evair de Melo (PP) tem usado as redes sociais para anunciar repasses de vacinas do governo federal aos Estados e fazer propaganda de vacinas como a de Oxford, que está sendo produzida pela Fiocruz. Evair não faz menção em suas postagens à Coronavac.

O parlamentar, contudo, ressalta que foi um dos que buscou interlocução com a China, em janeiro deste ano, para liberação de insumos para produção de vacina. Evair presidiu a Frente Parlamentar Mista em Defesa do Comércio Internacional para buscar aproximação do governo federal com o país asiático.

"Eu incentivo vacina desde o início da pandemia. Trabalhei fortemente na reaproximação Brasil/China e tratei inúmeras vezes oficialmente com a Embaixada chinesa sobre o tema da vacina", afirmou o deputado, que procurou a reportagem para se manifestar após a publicação do texto. 

Bolsonaristas também passaram a divulgar a vacinação. O ex-deputado federal Carlos Manato (sem partido), por exemplo, publicou um vídeo nas redes sociais no dia 31 de março, quando foi imunizado. Na gravação, ele aconselhou todas as pessoas a se vacinarem. 

Manato defende o uso de medicamentos que não têm eficácia comprovada para Covid-19 no tratamento da doença. Assim como a esposa Soraya Manato, disse que preferia ter sido imunizado com a Sputnik V, que não está disponível no Brasil, reforçando o discurso que desconfiança em relação à Coronavac. 

Apesar de estimular a população a se vacinar, Bolsonaro ainda não se vacinou. Ele está apto a receber o imunizante desde o início de abril.

No Brasil, cerca de 27 milhões de pessoas já foram vacinadas ao menos com a primeira dose da vacina. No Espírito Santo o número é de 608.773, de acordo com dados da Secretaria Estadual de Saúde divulgados na noite de quinta-feira (22).

Atualização

23 de Abril de 2021 às 14:45

O deputado federal Evair de Melo (PP) procurou a reportagem após a publicação do texto para ressaltar que, apesar de não ter incentivado publicamente a aplicação da Coronavac, participou de iniciativas oficiais para estreitar os laços entre Brasil e China, de onde partem os insumos para a produção de imunizantes.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Espírito Santo Jair Bolsonaro Covid-19 espírito santo Vacina Vacinas contra a Covid-19

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.