ASSINE

Após liminar, eleição na Câmara de Fundão é remarcada para o dia 15

Justiça do município suspendeu eleição que aconteceria nesta quinta-feira (01) e uma nova data foi marcada pelo presidente da Casa de Leis

Publicado em 01/02/2018 às 19h55
Eleazar Ferreira Lopes, presidente da casa. Crédito: Fernando Madeira | Arquivo
Eleazar Ferreira Lopes, presidente da casa. Crédito: Fernando Madeira | Arquivo

Após uma liminar impedir que a eleição da Mesa Diretora da Câmara de Fundão fosse realizada na noite desta quinta-feira (1º), uma nova data para a votação foi marcada, agora para 15 de fevereiro, um dia após a Quarta-Feira de Cinzas.

O atual presidente da Casa, vereador Eleazar Ferreira Lopes (PCdoB), acatou a decisão da juíza Priscila de Castro Murad, da Vara Única do município, a favor da ação movida por vereadores da oposição. Eles questionaram o curto prazo para inscrição da chapa, iniciado há apenas uma semana, na última sexta-feira (26).

“Mesmo que eu tenha feito tudo dentro do regimento da Casa, respeitei a decisão da juíza e abri outro prazo. O nosso regimento diz que podemos realizar a eleição da Mesa até o dia 15 de dezembro, mas como é um ano de Copa do Mundo e eleições, resolvi adiantar a votação para dar estabilidade administrativa à Casa”, justificou Eleazar.

Os vereadores que entraram na Justiça contra o presidente foram Janilton Almeida (PDT), Sandro Lima (PEN), Ataides Soares da Silva (PEN), Ângela Coutinho (PV) e Antônio Pitol (PRP).

Já os vereadores Adeilson Broetto (PMN), Elielton Rocha (PMN), Eloízio Fraga (Rede), Flavio Xavier (PRP), Ronaldo Broetto (PC do B) e Sonia Lusia Stein (PRP) fazem parte do grupo político de Eleazar.

PREFEITURA

Há exatamente quatro meses, no dia 1º de outubro, Fundão realizava eleição suplementar para escolha de um novo prefeito. Pretinho Nunes (PDT) venceu as eleições. Ele é do grupo político dos vereadores que foram contrários a realização da eleição para a Mesa Diretora nesta quinta (1º).

Já o grupo do presidente da Casa, Eleazar Ferreira, é ligado a Anderson Pedroni (PSD), que venceu as eleições em 2016, mas não foi empossado por ter a candidatura indeferida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).  Desde então os ânimos tem sido bastante acirrados entre os dois grupos na Casa de Leis.

Até que as novas eleições fossem feitas na cidade, Eleazar comandou o executivo por 9 meses, no exercício de 2017, de 1º de janeiro até 31 de setembro.

A Gazeta integra o

Saiba mais
fundão

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.