Estupros na Grande Vitória: "Crimes chocam até policiais", diz delegada

"Chocam pela extrema agressividade, pela demonstração de ódio até contra as mulheres, até uma misoginia muito grande", diz a chefe da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), delegada Claudia Dematté

Publicado em 25/10/2019 às 16h09
Delegada Claudia Dematté. Crédito: Isaac Ribeiro
Delegada Claudia Dematté. Crédito: Isaac Ribeiro

Ao revelar informações sobre a prisão do microempresário Glaupiherle Grasielo Rocha, 36 anos, suspeito de praticar oito estupros na Grande Vitória, a chefe da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), delegada Claudia Dematté, caracterizou o caso como extremamente violento.

Apesar de informar que o suspeito agia com uma arma e introduzia objetos nas vítimas, a delegada destacou que nem todos os detalhes sobre o caso foram divulgados porque as investigações ainda estão em curso. Ela lamentou que, ainda hoje, mulheres sejam estupradas.

Glaupiherle Grasielo Rocha foi preso acusando de oito estupros. Crédito: Reprodução
Glaupiherle Grasielo Rocha foi preso acusando de oito estupros. Crédito: Reprodução

“Eu ressalto que o crime contra a dignidade sexual da mulher é uma das piores violências que a mulher pode sofrer. Fere o corpo, fere a liberdade, fere a dignidade sexual da mulher. São casos extremamente delicados, violentos, que demonstram uma agressividade extrema em relação a essas mulheres vítimas”, analisou Dematté.

A delegada destacou também o trabalho integrado entre as Polícias Civil e Militar. Segundo ela, as investigações tiveram início após a PM registrar a entrada de uma mulher, vítima de violência sexual, em um Hospital de Vitória. Na unidade hospitalar, os policiais descobriram que outras vítimas tinham sido estupradas, mas decidiram não denunciar.

Ela ressaltou que as mulheres eram abordadas na rua, rendidas, ameaçadas com possível arma de fogo, obrigadas a entrar em um picape Saveiro, agredidas e violentadas. Segundo ela, o autor dos estupros introduzia nas vítimas a arma, madeiras, barras de ferro e diversos objetos cortantes. De acordo com Dematté, o modo como o suspeito agia chocou os policiais que investigam esse tipo de crime.

Delegada Claudia Dematté

Chefe da Divisão Especializada de Atendimento à Mulher

"Tivemos vítimas com laceração das partes íntimas, que precisaram passar por cirurgia. São casos que chocam. Chocam pela extrema agressividade, pela demonstração de ódio até contra as mulheres, até uma misoginia muito grande"

DENÚNCIA

Com a intenção de identificar novas vítimas, a Polícia Civil solicitou a divulgação da imagem do suspeito. “Estamos aqui para registrar esses casos, receber as vítimas, dar o acolhimento necessário. Noticiar esse tipo de crime grave é importante. Esses homens que praticarem crimes absurdos como esse não sairão impunes”, afirmou a delegada. O carro do microempresário foi apreendido. Os policiais encontraram sangue no veículo. O material colhido será periciado pela Polícia Civil.

Prisão de suspeito de estuprar 8 mulheres no ES

Imagens da casa do suspeito de estuprar oito mulheres no ES
Imagens da casa do suspeito de estuprar oito mulheres no ES. Divulgação/Polícia Civil
Imagens da casa do suspeito de estuprar oito mulheres no ES
Imagens da casa do suspeito de estuprar oito mulheres no ES. Divulgação/Polícia Civil
Imagens da casa do suspeito de estuprar oito mulheres no ES
Imagens da casa do suspeito de estuprar oito mulheres no ES. Divulgação/Polícia Civil
Imagens da casa do suspeito de estuprar oito mulheres no ES
Imagens da casa do suspeito de estuprar oito mulheres no ES. Divulgação/Polícia Civil
Imagens da casa do suspeito de estuprar oito mulheres no ES
Imagens da casa do suspeito de estuprar oito mulheres no ES
Imagens da casa do suspeito de estuprar oito mulheres no ES
Imagens da casa do suspeito de estuprar oito mulheres no ES
cariacica estupro pm (polícia militar) polícia civil violência contra a mulher

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.