> >
Dupla faz casais reféns, arremessa bebê e até atira exigindo Pix na Serra

Dupla faz casais reféns, arremessa bebê e até atira exigindo Pix na Serra

Pessoas feridas são de Minas Gerais e estavam no Espírito Santo a passeio, para curtir a Praia de Jacaraípe

Publicado em 9 de julho de 2024 às 08:40- Atualizado há 10 dias

Ícone - Tempo de Leitura 2min de leitura

A noite da última segunda-feira (8) foi de terror para uma moradora da região da Praia de Jacaraípe, na Serra, e para casais de amigos dela, de Minas Gerais, que vieram passear no Espírito Santo. A casa em que eles estavam foi invadida por dois criminosos armados que amarraram as vítimas, deram coronhadas, arremessaram um bebê no chão e até atiraram na perna de um dos homens. Tudo isso porque queriam que os reféns fizessem transferências via Pix

O boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar diz que a casa alvo dos bandidos fica em frente à Praia de Jacaraípe. A dona da residência informou que estava com o filho e com dois casais de amigos turistas quando, de repente, dois homens armados invadiram o imóvel. Eles começaram a exigir que as vítimas fizessem transferências via Pix. 

"Um estava armado e outro não, mas depois chegou a pegar uma faca. Como acho que o Pix não estava indo, eles pegaram o bebê, o pai reagiu e ele deu um tiro na perna do pai. Depois do tiro, eles correram e a gente conseguiu um desamarrar o outro", contou a dona da casa, em entrevista à repórter Priciele Venturini, da TV Gazeta. Por segurança, ela não será identificada. 

Ela revelou que um dos homens que foi feito refém, após conseguir se desamarrar, ainda correu atrás dos suspeitos pela rua, mas acabou levou uma pedrada. 

Os suspeitos tentaram levar o carro das vítimas, mas não conseguiram e fugiram com a chave. Eles também recolheram os celulares das pessoas, mas abandonaram os aparelhos lá mesmo, em uma sacola. 

O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu/ 192) foi acionado e levou os feridos para o Hospital Estadual Dr. Jayme Santos Neves. Não há detalhes sobre o estado de saúde deles. O caso foi registrado como tentativa de latrocínio (tentativa de matar para roubar).

Em nota, a Polícia Civil disse que "o caso foi registrado como tentativa de latrocínio e seguirá sob investigação do Departamento Especializado de Investigações Criminais (Deic). Até o momento nenhum suspeito foi detido. A população pode denunciar através do Disque-denúncia (181) qualquer tipo de irregularidade, ilegalidade ou repassar informações que ajudem as polícias na elucidação de delitos ou infrações. A ligação é gratuita e pode ser realizada em qualquer município do Estado".

Este vídeo pode te interessar

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rapido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta

A Gazeta integra o

The Trust Project
Saiba mais