ASSINE

Dupla encapuzada mata mulher na frente da filha de 4 anos em Cariacica

A vítima é a operadora de telemarketing Maiara de Oliveira Freitas, de 26 anos. O crime aconteceu no bairro Antonio Borges, Cariacica

Publicado em 12/09/2019 às 22h38
Maiara de Oliveira Freitas foi assassinada na frente da filha. Crédito: Reprodução/TV Gazeta/Instagram
Maiara de Oliveira Freitas foi assassinada na frente da filha. Crédito: Reprodução/TV Gazeta/Instagram

Fingindo ser policiais, dois bandidos encapuzados invadiram uma casa, agrediram um morador e mataram uma mulher de 26 anos na frente da filha dela.

A operadora de telemarketing Maiara de Oliveira Freitas foi assassinada na Rua B, do bairro Antonio Ferreira Borges, em Cariacica, na manhã desta quarta-feira (11).

Familiares contaram à Polícia Civil que os criminosos pularam o muro do imóvel por volta das 4h. Armados, eles arrombaram uma porta e invadiram o quarto do pai da vítima.

Eles acordaram o morador, disseram ser policiais e agrediram ele com coronhadas na cabeça. Depois, ordenaram que ele ficasse no quarto e seguiram para o quarto de Maiara.

Maiara de Oliveira Freitas foi assassinada na frente da filha. Crédito: Reprodução/Instagram
Maiara de Oliveira Freitas foi assassinada na frente da filha. Crédito: Reprodução/Instagram

A mulher foi retirada do cômodo e executada a tiros na frente da filha, de 4 anos. A menina não ficou ferida. Os criminosos fugiram e a polícia foi acionada.

SUSPEITA DE VINGANÇA

Familiares contaram que a vítima morava no bairro há duas semanas. Ela não tem passagem pela polícia. A suspeita é de que a operadora de telemarketing tenha sido morta por vingança. 

Há cerca de um ano, o namorado dela foi morto no bairro. Ela teria ajudado a polícia na investigação e foi ameaçada por isso. Ela se mudou para Minas Gerais e retornou a Antônio Borges há 14 dias.

Os parentes revelaram que pretendem se mudar do bairro por medo da violência. A filha de Maiara está abalada, chorando e perguntando sobre o paradeiro da mãe.

O corpo foi encaminhado para o Departamento Médico Legal (DML), em Vitória. O crime será investigado pela Delegacia de Homicídios e Proteção à Mulher (DHPM).

Com informações de Daniela Carla, da TV Gazeta

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.