> >
Casal é achado morto com sinais de violência em apartamento em Castelo

Casal é achado morto com sinais de violência em apartamento em Castelo

Vizinho sentiu mau cheio em corredor de prédio e acionou a Polícia Militar; corpos tinham perfurações causadas por arma de fogo

Publicado em 11 de junho de 2024 às 12:01- Atualizado há 13 dias

Ícone - Tempo de Leitura 2min de leitura
Marciana de Oliveira, de 38 anos, e  Gregory Vinícius de Souza, de 35,, encontrados mortos dentro de um apartamento em Castelo
Marciana de Oliveira, de 38 anos, e Gregory Vinícius de Souza, de 35, encontrados mortos dentro de um apartamento em Castelo. (Redes Sociais)
Sara Oliveira
Repórter / [email protected]

Os corpos de Marciana de Oliveira, de 38 anos, e do companheiro dela, Gregory Vinícius de Souza, de 35, foram encontrados na noite de segunda-feira (10), dentro do apartamento onde eles moravam em Castelo, no Sul do Espírito Santo. Segundo a Polícia Militar, os corpos do casal estavam em estado de decomposição e apresentavam sinais de violência: havia perfurações de arma de fogo. As polícias Militar e Civil não deram detalhes sobre como teria ocorrido o crime.

A Polícia Militar informou, em nota, que policiais foram ao apartamento, no bairro Volta Redonda, após a corporação ser acionada por um vizinho. Um homem informou que, ao chegar em casa, por volta das 21h, sentiu um odor forte no corredor do prédio e acreditava que o mau cheiro seria proveniente do apartamento vizinho. Ele contou aos militares que chamou pelos moradores, mas não obteve resposta, e percebeu que as luzes estavam acesas.

O vizinho então decidiu verificar o interior do apartamento por meio de uma claraboia – abertura em teto para entrada de luz no ambiente, constatando a presença de uma pessoa caída no chão do apartamento. Segundo o solicitante, havia manchas de sangue no piso do imóvel, por isso ele acionou a Polícia Militar.

Os militares entraram em contato com um dos proprietários do prédio, solicitando acesso ao imóvel. O dono tentou abrir a porta do apartamento com uma das chaves, mas os militares só conseguiram entrar no local após arrombarem a porta. Foram encontrados na residência os cadáveres na copa.

Os policiais também acharam um pino de cocaína no bolso da bermuda do homem e uma pistola calibre 9 milímetros com quatro munições intactas e uma deflagrada ao lado do braço esquerdo da mulher. No apartamento, os policiais também acharam uma balança de precisão, pilhas, pinos vazios, um pino de cocaína, pasta base de cocaína em uma sacola plástica e dois aparelhos celulares. Militares que atenderam a ocorrência informaram que os dois viviam em regime de união estável.

Procurada, a Polícia Civil disse que o caso segue sob investigação da Delegacia de Polícia (DP) de Castelo e nenhum suspeito foi detido. Os corpos foram recolhidos pela Polícia Científica e encaminhados para o Serviço Médico Legal (SML) de Cachoeiro de Itapemirim.

Casal estava junto havia quatro anos

Em conversa com o repórter Gustavo Ribeiro, da TV Gazeta Sul, familiares informaram que o casal estava junto havia aproximadamente quatro anos. Marciana de Oliveira tinha duas filhas, de 17 e 22 anos, que já não moravam mais com ela. 

Sobre o caso, a família informou não saber o que aconteceu nem o que o que pode ter motivado, mas Marciana já tinha relatado problemas no relacionamento.

Este vídeo pode te interessar

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rapido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta

A Gazeta integra o

The Trust Project
Saiba mais