ASSINE

A principal linha de investigação do assassinato de menina em Colatina

Adolescente de 12 anos foi morta enquanto dormia

Publicado em 02/04/2019 às 19h16
Samara Pereira de Souza foi morta a tiros dentro de casa em Colatina. Crédito: Reprodução
Samara Pereira de Souza foi morta a tiros dentro de casa em Colatina. Crédito: Reprodução

Morte por engano. Esta é a principal linha de investigação sobre o assassinato da menina de 12 anos, que morreu atingida por dois tiros enquanto dormia no sofá de casa, durante a madrugada dessa segunda-feira (1), em Colatina, no Noroeste do Estado. A suspeita do crime ter sido motivado por vingança diminuiu após dois depoimentos colhidos pela Polícia Civil.

Responsável pelo caso, o delegado Deverly Pereira Júnior, da 15ª Delegacia Regional, contou o que os parentes da vítima disseram. “O tio, que estava deitado no chão da sala, ao lado da menina, afirmou que o atirador estava sozinho, encapuzado e que já entrou atirando na casa. O primo, por sua vez, admitiu ser o provável alvo do criminoso”.

Ambas as falas, junto do fato de que o local estava escuro porque era madrugada, corroboraram com a suspeita de morte por engano. “Já descartamos a hipótese de feminicídio e praticamente rejeitamos a motivação por vingança, tendo em vista que o atirador não deve ter percebido que disparava contra a pessoa errada”, explicou o delegado.

 TRÁFICO DE DROGAS

De acordo com a Polícia Civil, o caso tem relação com o comércio ilegal de drogas na região do bairro de São Judas Tadeu, em Colatina. Preso em abril de 2017 por tráfico e associação criminosa, o primo está em liberdade desde o dia 18 de março. Dessa forma, o grupo rival estaria temeroso de uma represália pela morte do irmão dele, em novembro do ano passado.

O CRIME

A menina Samara Pereira de Souza, de 12 anos, foi morta a tiros na madrugada dessa segunda-feira (1), em Colatina, enquanto dormia no sofá da sala. Segundo registro da PM, a avó dela acordou com alguém arrombando a porta da casa e disparando tiros em seguida. Quando chegou à entrada, a neta já pedia socorro.

Foram dois disparos que atingiram o tórax de Samara, que gritou para que a família não a deixasse morrer, ainda em casa. A jovem chegou a ser assistida pelos próprios parentes e levada ao pronto socorro do Hospital Silvio Avidos. Porém, por causa da gravidade dos ferimentos, ela acabou não resistindo.

No momento do crime, a avó teria visto apenas uma pessoa de camisa branca descendo as escadas do beco em frente à residência, mas por estar ainda de noite, não soube informar maiores características do acusado. Policiais realizaram buscas a pé pelas ruas do bairro São Judas Tadeu e Colatina Velha, mas não localizaram o criminoso.

A Gazeta integra o

Saiba mais
assassinato colatina tráfico de drogas

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.