ASSINE
Pandemia
Pandemia
1943
2021

Empresário e engenheiro Renato Gueron morre aos 77 anos de Covid-19

O executivo do ramo da celulose estava internato há quase duas semanas na UTI de um hospital no Rio de Janeiro, onde faleceu nesta terça-feira (06). A morte foi confirmada pela família

Vitória / Rede Gazeta
Publicado em 06/04/2021 às 13h20
Atualizado em 06/04/2021 às 16h52

O empresário e engenheiro Renato Gueron, de 77 anos, é mais uma vítima do novo coronavírus. Ele morreu na madrugada desta terça-feira (06), em hospital do Rio de Janeiro, onde estava internado há quase duas semanas na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) para tratamento da Covid-19.

A trajetória de Gueron passa pela antiga Aracruz Celulose, no município da região Norte do Estado, onde atuou como gerente geral de Engenharia e Suprimentos, antes de assumir um cargo na diretoria de Engenharia e Projetos. Na Veracel Celulose, na Bahia, chegou ao cargo de presidente. Também foi sócio-diretor da Tesseralis Engenharia e Consultoria.

A morte foi confirmada pela filha, Paula Gueron. "Meu pai foi intubado na terça-feira passada (30), mas surgiram complicações decorrentes da doença e, infelizmente, ele não resistiu. Meu irmão também está na UTI, intubado, lutando contra a Covid. Agora resta esperar", desabafou.

Paula Gueron

Filha de Renato Gueron

"Fizemos tudo o que poderíamos ter feito para preservar a saúde de nossa família, e não foi suficiente. Mas em meio aos sentimentos ligados à morte de meu pai, vem também a revolta pela situação que vivemos hoje. Continua a falta de responsabilidade, de empatia. As pessoas continuam se aglomerando, fazendo festa. Não queiram passar por isso"

A morte do empresário também foi lamentada por amigos e colegas de profissão, segundo os quais, além de uma pessoa querida, Gueron sempre prezou pelo desenvolvimento do Espírito Santo e pela valorização das empresas locais.

“Foi o executivo que deu oportunidades e apoio às empresas de bens e serviços do Espírito Santo. Se hoje nossas empresas estão espalhadas pelo Brasil, realizando excelentes serviços com reconhecimento, devemos muito a Gueron”, destacou o diretor da DVF Consultoria, Durval Vieira de Freitas.

Durval Vieira de Freitas

Diretor da DVF Consultoria

"Eu comecei minha luta no Estado, de valorização das pessoas locais, na década de 1990. Gueron abraçou isso e foi importantíssimo para nós. Sempre esteve junto, chamou os detentores de tecnologia, chamou as empresas, exigiu qualidade, e continuou fazendo isso em prol do Espírito Santo. Levou as empresas também para outros locais e elas cresceram muito. Ele deixou um legado: com planejamento, organização e controle, somos capazes"

O presidente da Câmara Setorial das Indústrias de Base e Construção da Federação das Indústrias do Espírito Santo (Findes), Antônio Falcão, também lamentou a perda do empresário, que ajudou na consolidação de organizações como o Cdmec (Centro Capixaba de Desenvolvimento Metalmecânico), o Sindifer (Sindicato das Indústrias Metalúrgicas e de Material Elétrico do Estado), e o Sinduscon (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Espírito Santo).

Antônio Falcão

Presidente da Câmara Setorial das Indústrias de Base e Construção da Findes

"A Câmara Setorial das Indústrias de Base e Construção da Findes lamenta o falecimento de Renato Gueron, executivo de destaque no mundo empresarial, que deu decisivas contribuições para o fortalecimento do setor. Atuou pela consolidação do Cdmec, Sindifer e Sinduscon, apostou no programa de desenvolvimento de fornecedores e na valorização do empresariado capixaba. Uma perda lastimável. Nossos sentimentos aos amigos e familiares"

O conselheiro do Cdmec, Fausto Frizzera, lamentou a perda do amigo com quem trabalhou por quase três décadas em Aracruz.

Fausto Frizzera

Conselheiro do Cdmec

"Renato um grande amigo. Trabalhamos juntos por quase 30 anos na Aracruz Celulose, e, mesmo após sua saída, continuou muito voltado à participação das empresas locais nos grandes eventos da celulose. E isso contribuiu muito para o crescimento do Estado. Ele era um cara sério, e, quem não conhecia, achava até que era bravo. Mas era uma pessoa muito querida "

O gerente-executivo industrial da Suzano, Fabrício José da Silva, destacou que o nome de Gueron ficou marcado na história de desenvolvimento da indústria de celulose.

Fabrício José da Silva

Gerente-executivo industrial da Suzano

"O nome de Renato Gueron faz parte da história de desenvolvimento da indústria de celulose. Na Aracruz, como diretor de Engenharia e Projetos, ajudou a transformar a fábrica localizada no município de mesmo nome na maior planta individual de produção de celulose do país. Também fez parte do grupo de desbravadores escalado para transformar em realidade a Veracel, em Eunápolis (BA), empresa da qual foi presidente. Guéron deixa um legado importante para a indústria de celulose e papel. A nossa solidariedade aos familiares e amigos"

A Gazeta integra o

Saiba mais
Findes Coronavírus no ES Covid-19 Pandemia Sinduscon

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.