ASSINE

Mulheres se unem pela luta contra a violência em bloco de São Mateus

O Bloco das Belas desfilou pela primeira vez neste carnaval.  Durante o desfile, as integrantes homenagearam mulheres como Marielle Franco, Elza Soares e Maria da Penha

Publicado em 25/02/2020 às 18h15
Atualizado em 25/02/2020 às 18h15
Mulheres se unem para brincar o carnaval e lutar contra a violência e o assédio em bloco de São Mateus. Crédito: Coletivo Belas/ Divulgação
Mulheres se unem para brincar o carnaval e lutar contra a violência e o assédio em bloco de São Mateus. Crédito: Coletivo Belas/ Divulgação

O carnaval de Guriri, no litoral de São Mateus, Norte do Espírito Santo, ganhou um reforço neste ano. Na noite deste sábado (24), o Bloco das Belas desfilou pela primeira vez nas ruas do balneário. O bloco foi idealizado pelo BELAS, coletivo auto-organizado de mulheres da cidade, e tem como objetivo alertar a sociedade sobre os casos de assédio, violência e abuso contra as mulheres. Durante o desfile, as integrantes do bloco também homenagearam mulheres como Marielle Franco, Elza Soares e Maria da Penha.

Uma das representantes do grupo, Zenilza Pauli conta que o bloco foi um sucesso e lembra que, além da alegria, o carnaval é um momento importante para fortalecer o combate a todo tipo de violência contra a mulher.

“Para o nosso coletivo é preciso celebrar o poder da mulher e levar para todos os espaços, inclusive para o carnaval, porque é  nesse tipo de festa que o assédio e a violência são muito comuns contra as mulheres”, afirmou.

Além de promover o debate sobre a violência contra as mulheres,  o bloco também aproveitou o primeiro desfile para homenagear mulheres como Marielle Franco, Elza Soares e Maria da Penha, que segundo as organizadoras são ícones na luta pelos direitos femininos.

Durante o desfile, as integrantes homenagearam mulheres como Marielle Franco, Elza Soares e Maria da Penha. Crédito: Coletivo Belas / Divulgação
Durante o desfile, as integrantes homenagearam mulheres como Marielle Franco, Elza Soares e Maria da Penha. Crédito: Coletivo Belas / Divulgação

O COLETIVO BELAS 

De acordo com Zenilza Pauli, o Coletivo Belas iniciou suas atividades em setembro de 2018 e hoje conta com mais mais de 80 mulheres cadastradas. O grupo se reúne uma vez por mês para estudos, debates e mobilizações com a sociedade e o poder público.

“Nosso objetivo principal é fortalecer um coletivo de mulheres, com contato pessoal para além do ativismo das redes sociais. Estamos buscando o fortalecimento e pretendemos nos tornar uma referência para auxiliar mulheres vítimas de violência”, contou.

A Gazeta integra o

Saiba mais
Carnaval são Mateus Carnaval no ES guriri são mateus

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.