ASSINE

Coronavírus: capixaba na Tailândia não consegue voltar para o ES

Luciana Fiel integra um grupo de sete pessoas que viajaram para Bangkok, capital do país, onde participou de um curso de imersão

Publicado em 13/04/2020 às 10h14
13/04/20 - Nova Venécia - Capixaba que está na Tailândia não consegue voltar para o ES
A capixaba Luciana Fiel viajou para a Tailândia para participar de uma imersão de meditação e autoconhecimento. Crédito: TV Gazeta/Reprodução

A capixaba Luciana Fiel busca ajuda do governo brasileiro para conseguir retornar ao país em meio à pandemia do novo coronavírus. A terapeuta é uma das sete brasileiras que viajaram para Bangkok, capital da Tailândia, para participar de um curso. 

Morando na Índia desde 2014, Luciana conta que encontrou com as outras brasileiras no mês passado já no local onde o curso aconteceu. Segundo ela, duas mulheres que moram em Juiz de Fora, em Minas Gerais, já conseguiram retornar ao país. No entanto, as outras cinco continuam na Tailândia. A terapeuta já morou na Grande Vitória e pretende retornar ao Espírito Santo. 

Luciana Fiel

Terapeuta

"Viemos para uma imersão de meditação e autoconhecimento, continuamos focadas nessas ferramentas, é isso que está sustentando a gente aqui. Existem alguns voos, mas o valor de cada passagem varia entre 13 e 14 mil reais. Esse é o preço da companhia aérea por pessoa, por passageiro. Também já tivemos a experiência de outras pessoas estarem aqui, compram essa passagem e dois dias antes o voo é cancelado"
13/04/20 - Nova Venécia - Capixaba que está na Tailândia não consegue voltar para o ES
Do grupo de sete brasileiras, duas já conseguiram retornar ao país. Crédito: TV Gazeta/Reprodução

BEBEDOUROS COLETIVOS

De acordo com a capixaba, as brasileiras estão se ajudando e arcando com os custos extras até que consigam retornar para o Brasil. “Nós estamos bancando as nossas despesas com aluguel, alimentação e a água. Nós temos usado o bebedouro coletivo das ruas da Tailândia”, relata.

No Brasil, familiares buscam ajuda para agilizar o retorno das mulheres. A Natache Fiel é irmã da Luciana e mora em Nova Venécia, no Espírito Santo. Segundo ela, as famílias estão se mobilizando para cobrar do governo o apoio para garantir a volta das brasileiras em segurança.

“Estamos em contato com o consulado, já preenchemos todas as formalidades, elas lá também já preencheram e a gente tem visto boa vontade do governo brasileiro em resgatar todos os brasileiros que estão espalhados mundo afora, uma pena as companhias aéreas terem colocado os brasileiros nessa situação, porque elas aumentaram o valor da passagem, cancelaram voos, devolveram o dinheiro e aumentaram muito o valor. Então, quando os brasileiros foram retornar, já não tinham mais condição de pagar pelo valor cobrado”, comenta.

APOIO DO GOVERNO

A Embaixada do Brasil em Bangkok informou que está tentando fretar um voo para buscar os brasileiros no exterior. O último levantamento contou 206 brasileiros na Tailândia. O Itamaraty reforçou ainda que continuará trabalhando sem interrupção para assegurar a volta dos brasileiros.

Durante a pandemia do novo coronavírus, o Itamaraty, com o apoio da Anac e do Ministério do Turismo, já possibilitou o retorno de 11,2 mil pessoas ao Brasil.

*Com informações de Alessandro Bacheti, da TV Gazeta Noroeste

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.