ASSINE

Cidades do Norte e Noroeste do ES lideram taxa de incidência da dengue

Linhares é a cidade com a maior taxa, segundo o último boletim da Secretaria de Estado da Saúde. Barra de São Francisco, Vila Pavão e Ponto Belo também apresentaram números preocupantes

Publicado em 20/07/2018 às 13h30
Municípios do Norte e Noroeste estão entre os municípios com maior incidência da doença no Estado nas últimas quatro semanas. Crédito: Reprodução/Pixabay
Municípios do Norte e Noroeste estão entre os municípios com maior incidência da doença no Estado nas últimas quatro semanas. Crédito: Reprodução/Pixabay

Quatro cidades das regiões Norte e Noroeste do Espírito Santo lideram último boletim da dengue da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) como os municípios com maior incidência da doença no Estado nas últimas quatro semanas. Em primeiro lugar está Linhares. Barra de São Francisco, Vila Pavão e Ponto Belo são as outras cidades com grande incidência de dengue na região. A única cidade que não é do Norte e Noroeste e entre os cinco primeiros lugares é Laranja da Terra, que fica na região Serrana.

Segundo a Sesa, para calcular a incidência é dividido o número de novos casos da doença pela população do município e depois multiplicado por 100 mil. A taxa é um importante indicador de alerta e ajuda a orientar as ações de combate à dengue.

LINHARES

Em Linhares, no Norte do Estado, a taxa de incidência é e 191,1. A cidade registrou uma morte e dois casos de dengue hemorrágica, informou a Secretaria Municipal de Saúde. Uma mulher com dengue hemorrágica estava internada com dengue hemorrágica no Hospital Geral de Linhares, mas ela foi transferida nesta quinta-feira (19) para Vitória por causa de seu estado de saúde.

A Prefeitura de Linhares informou que já são 1.877 casos de dengue notificados na cidade e 582 confirmados. Os bairros com mais registros e confirmações de casos são Aviso, Araçá, Shell, Novo Horizonte, Centro, Interlagos e o distrito de Bebedouro.

Além disso, a prefeitura destacou que intensificou as ações no combate do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika, tais como a ida do carro fumacê nos bairros com índice de infecção mais elevados e com maior transmissão da doença, e também a visita de agentes de saúde nos balneários de Pontal do Ipiranga e Barra Seca.

“Intensificamos as ações de combate à dengue e o carro fumacê está percorrendo os bairros constantemente, assim conseguimos reduzir o número de notificações em Linhares, mas, mesmo assim, estamos em estado de alerta. É importante que a população tenha consciência que o combate à dengue depende de todos nós”, ressaltou a superintendente de Vigilância em Saúde, Dóris Schimidt Corona.

A orientação é que os pacientes com suspeita de dengue devem buscar atendimento médico nas 33 unidades básicas de saúde do município, além dos hospitais.

BARRA DE SÃO FRANCISCO

Já Barra de São Francisco, no Noroeste do Estado, apresenta taxa de incidência de 154,6 e ficou em terceiro lugar no boletim da Sesa. Os bairros com maior infestação de focos constatados são Colina e Bambé. Por meio do Setor de Vigilância em Saúde, a prefeitura informou que os trabalhos em combate ao mosquito foram intensificados com a realização de mutirões de limpeza e carro fumacê circulando nos bairros.

“Campanhas de orientação, tanto no portal oficial do município, nas redes sociais, em outras mídias, e por parte dos agentes de combate a endemias também são colocados em prática. Desta forma, acredita-se que o município tenha ocupado o 3º lugar de maior incidência devido ao acomodamento por parte da população”, destacou a prefeitura.

VILA PAVÃO

Vila Pavão, no Noroeste, que está em quarto lugar no boletim da Sesa com taxa de incidência de 116,3, também tem atuado para acabar com os focos do mosquito. As localidades com maior infestação são Conceição do XV, Praça Rica e assentamento Três Corações, todas na zona rural do município. A informação é da referência municipal em Vigilância Epidemiológica Ambiental, Letícia Pianna. De acordo com ela, os casos de chikungunya estão até maiores do que os de dengue.

“Realizamos diversas ações, como a visita de agentes de saúde nas casas o ano todo, bloqueio com veneno, informações passadas nas igrejas da cidade e no final do ano passado fizemos palestras e teatro nas escolas, tudo para orientar como evitar focos do mosquito. Mas a população tem que se mobilizar, se preocupar mais, cuidar dos quintais e acabar com os focos”, explicou Letícia.

PONTO BELO

Ponto Belo, no extremo Norte do Estado, tem taxa de incidência de 113,9 e está em quarto lugar no boletim da Sesa. O secretário municipal de Saúde Robson Roque Coelho disse que a maioria dos casos da doença foi registrada no distrito de Altamira, que fica na zona rural. “Foram feitas ações para diminuir a incidência da dengue, como orientações à população, trabalho de campo e fumacê”, afirmou Coelho.

A Gazeta integra o

Saiba mais
linhares Barra de São Francisco Vila Pavão Ponto Belo linhares noroeste

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.