ASSINE

Vendedor de pão de queijo famoso no ES é capturado pelo Google

"Tio do pão de queijo" confirma fama de onipresente e aparece nas lentes do Google Street View vendendo iguaria mineira

Publicado em 12/09/2019 às 11h14
Atualizado em 12/09/2019 às 17h23

Pelo nome que consta na identidade, David de Jesus Pereira dificilmente seria reconhecido pelas ruas da Grande Vitória, mas quando revelamos como esse homem de 50 anos é conhecido, o cenário muda. O "tio do pão de queijo" é figurinha fácil de ser vista pelas ruas, especialmente nos ônibus e terminais rodoviários da Região Metropolitana, e faz a alegria dos usuários vendendo a tradicional iguaria mineira, que também tem a versão com goiabada.

David, o "tio do pão de queijo", foi flagrado até pelo Google Street View. Crédito:  Reprodução/Google Street View
David, o "tio do pão de queijo", foi flagrado até pelo Google Street View. Crédito: Reprodução/Google Street View

A sagacidade para vender o pão de queijo é tamanha, que, costumeiramente, é dito por quem consome o produto que o "tio do pão de queijo" está em todos os lugares. A onipresença é tanta que até no mundo virtual Davi deu o ar da graça com a companheira diária de labuta às costas, a inseparável cesta de pão de queijo.

De jaleco branco, Davi foi capturado pelas lentes do Google Street View no canteiro central da Avenida Leitão da Silva, em Vitória, entre os bairros Praia do Suá e Bento Ferreira. O registro é datado de maio de 2017 e comprova a fama de que ele percorre quilômetros diariamente vendendo os pães de queijo.

VÍDEO: PÃO DE  QUEIJO QUENTINHO

IRONIA DO DESTINO

Davi poderia estar em qualquer lugar da Grande Vitória, mas quis o destino que coincidentemente ele estivesse a poucos metros o local onde foi flagrado pelo Google Street View quando atendeu a ligação da reportagem do Gazeta Online, nesta quinta-feira (12).

Davi e Eliane, vendedor e cliente fiel. Crédito: Arquivo pessoal
Davi e Eliane, vendedor e cliente fiel. Crédito: Arquivo pessoal

"Tem umas coisas que são até difíceis de explicar. Nesse momento eu estou na floricultura que fica bem em frente a esse lugar que você me viu nesse negócio aí. É uma região que costumo andar e oferecer meu pão de queijo. O Wagner, que tem um bar aqui ao lado e me conhece, já tinha me falado que havia me visto lá também. O pessoal gosta de dizer que estou em todos os lugares. Agora estou até na internet", contou Davi sem esconder a surpresa com o fato.

Enquanto conversava com a reportagem, Davi não deixou de fazer o que mais sabe: vender. Entre uma pergunta e outra, um ou mais pães de queijo eram vendidos. Um deles, com goiabada, foi para a vendedora da floricultura, Eliane Nunes, cliente fiel do desse mineiro que mora em Cariacica, também na Região Metropolitana de Vitória.

SATISFAÇÃO PESSOAL

São tantas idas e vindas em um mesmo dia que o simples fato de atender à reportagem é motivo de alegria para o "tio do pão de queijo". Um simples sorriso vale tanto como uma venda efetuada.

"Juro que me sinto lisonjeado e valorizado quando alguém me para na rua. Não precisa nem comprar o pão de queijo. É questão de satisfação, sabe? Digo isso porque nem tudo são flores na nossa vida. Lidar com vendas é difícil, nem todo mundo é receptivo. Por isso que fico feliz quando recebo um bom dia, boa tarde ou boa noite. Pode não parecer nada, mas para mim é motivo de muito alegria. Mas no geral as pessoas são educadas comigo e não desprezo ninguém. Vendo para o estudante ao doutor", contou Davi que desde abril de 2000 decidiu ir às ruas para vender a comida típica de Minas Gerais em solo capixaba. 

BOATO 

Ainda em fevereiro, Davi passou por uma situação inusitada. Um boato de que ele havia morrido se espalhou rapidamente pela Grande Vitória, gerando comoção em quem o conhecia. Felizmente tudo não passou de uma história inverídica, e atualmente ele até brinca com o ocorrido.

Davi de Jesus Pereira tem 50 anos e há quase 20 vende pão de queijo pela Grande Vitória. Crédito: Bárbara Oliveira
Davi de Jesus Pereira tem 50 anos e há quase 20 vende pão de queijo pela Grande Vitória. Crédito: Bárbara Oliveira

Este vídeo pode te interessar

"Rapaz... deixe eu te falar. Já me 'mataram' nem sei quantas vezes. Acho que no dia que acontecer não vão nem acreditar (risos). Mas pode escrever aí que eu continuo muito bem, trabalhando todos os dias e vendendo meu pão de queijo. Mas sabe que eu até gosto. Mostram que se preocupam comigo e que de alguma maneira tenho uma valor para as pessoas. Vou seguir firme aqui. Aliás, quer um pão de queijo?', brincou Davi ao encerrar a ligação antes de embarcar em um coletivo com destino a Carapina, na Serra.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.