ASSINE

Os flagrantes de mau uso de bicicletas compartilhadas em Vitória

A empresa orienta que as bicicletas não sejam deixadas em faixa de pedestre, na saída de carros ou em vagas de estacionamento especiais

Publicado em 11/03/2019 às 14h43
Bicicleta no alto de um abrigo de ônibus em Vitória. Crédito: Renan Bagatelli
Bicicleta no alto de um abrigo de ônibus em Vitória. Crédito: Renan Bagatelli

Uma bicicleta em cima do ponto de ônibus. Como ela foi parar ali ninguém sabe, mas a foto não deixa dúvidas: uma bicicleta compartilhada, da empresa Yellow, foi "estacionada" no teto de um ponto de ônibus, na Avenida Fernando Ferrari, próximo à Ufes, em Vitória.

A empresa orienta que as bicicletas não sejam deixadas em faixa de pedestre, na saída de carros ou em vagas de estacionamento especiais (para idosos e cadeirantes) ou pagas. O importante é deixar o caminho livre para pedestres e outros veículos. Muitas são as imagens com cenas "curiosas" envolvendo a bike "amarelinha", na Capital.

Em Jardim Camburi, teve morador que utilizou a bicicleta compartilhada e, para garantir que ela ainda estivesse no mesmo local algum tempo depois, acorrentou a bike na portão de casa. O que não pode.

Bicicleta compartilhada é acorrentada no portão de casa em Jardim Camburi. Crédito:  Reprodução/Redes Sociais
Bicicleta compartilhada é acorrentada no portão de casa em Jardim Camburi. Crédito: Reprodução/Redes Sociais

E carregar para outra cidade, pode?

Cariacica não conta com o sistema de compartilhamento de bicicletas, mesmo assim um carro com placas do município foi filmado carregando uma bike no porta-malas, ao lado de várias pencas de banana. A "magrela" estava sem o cadeado com QR Code utilizado para desbloqueá-la. Para onde ela era levada ninguém sabe dizer.

Vandalismo

Por fim, ainda tem gente que escolhe destruir as bicicletas que estão espalhadas pela cidade. Neste sábado (09), um ciclista deixou a bike estacionada corretamente na Rua 7, no Centro de Vitória, e durante a madrugada de domingo (10) dois homens tentaram quebrar a "magrela". A bicicleta teve o aro completamente entortado, o que inviabilizou o uso.

Posicionamento da empresa

Por nota, a Yellow disse que não confirma a veracidade das fotos e vídeos e garantiu que monitora todos os seus equipamentos e encaminha para a sua oficina aqueles que precisam de eventuais reparos.

"A empresa lembra que as suas bicicletas foram desenvolvidas com peças exclusivas, que não se adaptam a outros modelos. Além disso, todas as bicicletas Yellow são rastreadas por sistema GPS - o que já evitou episódios indesejados e ainda levou à recuperação dos equipamentos e à apreensão de pessoas envolvidas nesses casos. A empresa conta com um time de guardiões - sua equipe de rua, destinada ao monitoramento e organização das operações -, mantem contato frequente com autoridades e também recebe denúncias feitas pelos próprios usuários, a partir das quais atua na recuperação dos equipamentos. A Yellow lamenta depredações como estas que prejudicam a oferta de mobilidade para a população e pede a todos que as denunciem para o devido tratamento possa ser aplicado", diz a nota.

A Gazeta integra o

Saiba mais
vitória

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.