ASSINE

Morre Thiago Fabres, advogado e professor de Direito da Ufes

O governo do Estado decretou luto oficial de três dias pela morte do jurista, que sofreu um infarto

Publicado em 26/02/2020 às 17h47
Atualizado em 27/02/2020 às 09h11
O professor de Direito Thiago Fabres de Carvalho. Crédito: Facebook
O professor de Direito Thiago Fabres de Carvalho. Crédito: Facebook

Morreu nesta quarta-feira (26) o advogado, professor de Direito e membro do Conselho Estadual de Ética, Thiago Fabres de Carvalho, aos 42 anos, no Hospital Praia da Costa, em Vila Velha. Ele, que também deu aulas na Faculdade de Direito de Vitória (FDV), faleceu após um infarto. Informações sobre o velório e sepultamento ainda não foram divulgadas.

De acordo com o sócio do professor em um escritório de advocacia, Raphael Boldt, Fabres teria sentido forte dor no peito. “Não estou no Espírito Santo no momento, mas soube por meio da família dele que o Thiago sentiu forte dor no peito e suou muito, após ter passado a manhã de forma normal. Fica minha tristeza profunda, estou estarrecido, é uma perda muito grande para todos nós. Ele era um grande amigo, além de sócio, profissional exemplar e ótimo pai”, lamentou.

Emocionado, o também sócio do jurista, Israel Domingos Jorio, declarou que: “Se algo puder ser registrado...Perdi um irmão. Um gênio, com o coração e a alma de uma criança".

Nas redes sociais foram publicadas homenagens prestadas por amigos, alunos e sócios. O governador  do Estado, Renato Casagrande, também lamentou a morte do jurista e decretou luto oficial de três dias pela morte dele. "Nosso reconhecimento pelo tempo em que contribuiu com o Estado. Sentimentos à família", diz um trecho da mensagem.  

Este vídeo pode te interessar

O amigo e também jurista Gustavo Senna Miranda, publicou nas redes sociais:

"Muito triste a notícia. Thiago foi e continuará sendo um ser humano sensacional, de um grande coração. Uma pessoa marcante, sendo impossível ficar indiferente à sua presença inquietante. Ele sempre me fazia recordar uma pequena pérola de Galeano, o conto “Um mar de fogueirinhas”:

“— O mundo é isso — revelou — Um montão de gente, um mar de fogueirinhas.

Cada pessoa brilha com luz própria entre todas as outras. Não existem duas fogueiras iguais. Existem fogueiras grandes e fogueiras pequenas e fogueiras de todas as cores. Existe gente de fogo sereno, que nem percebe o vento, e gente de fogo louco, que enche o ar de chispas. Alguns fogos, fogos bobos, não alumiam nem queimam; mas outros incendeiam a vida com tamanha vontade que é impossível olhar para eles sem pestanejar, e quem chegar perto pega fogo.”

Thiago Fabres sempre foi para mim aquele tipo de fogo que quem chegava perto pegava também fogo. Brilhará lá em cima e para sempre nos nossos corações. Vai com Deus, meu amigo... Muita força para os familiares e os parceiros de luta Boldt e Israel".

A Gazeta integra o

Saiba mais
UFES direito

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.