ASSINE
Oferecimento:
Modo de Visualização:

Mais atraso em obra na Vila Rubim gera prejuízo e irritação para comerciantes

As obras podem levar até seis meses após nova licitação

Publicado em 03/09/2019 às 18h54

Não foi dessa vez. A empresa responsável por uma obra de drenagem na Vila Rubim e a Prefeitura de Vitória, que deve fiscalizar essas intervenções, não cumpriram os prazos combinados com a população mais uma vez.

A empresa responsável pela obra de drenagem desistiu das intervenções, mas chegou a um acordo para regularizar o pavimento enquanto a administração municipal não faz outra contratação.

Comerciante prejudicado pela obra . Crédito: Caique Verli
Comerciante prejudicado pela obra . Crédito: Caique Verli

O primeiro prazo apresentado para a entrega da obra era 23 de agosto. Depois, alegando que a chuva atrapalhou o cronograma, a prefeitura deu uma nova data, dia 2 de setembro, ou seja, na última segunda-feira.

A reportagem da CBN Vitória foi ao local e os problemas continuam. As ruas em frente ao aviário e na lateral da peixaria seguem descobertas, com buracos, desníveis e terra.

Isso gera indignação entre os comerciantes da Vila Rubim. O Moacir Trancoso, que trabalha na região há 40 anos, é um deles. "Isso aí é uma pouca vergonha. Obra pra uma semana e que demora meses. E está tudo parado, você não vê ninguém fazendo nada. Tem muita poeira e quando chove fica alagado", protesta Moacir. 

Por que isso prejudica os comerciantes? Porque além da entrada desses pontos comerciais ficarem com uma aparência mais feia, o próprio acesso dos clientes às lojas fica difícil, como lembrou o comerciante César Dionísio. "Está gerando muito prejuízo. Quando chove, os clientes não conseguem passar para entrar no comércio", lamentou.

SECRETÁRIO EXPLICA ATRASO 

De acordo com o secretaria de Obras e Habitação de Vitória (Semohab), Sérgio Sá, a empresa cumpriu o combinado e finalizou o que foi acordado com a prefeitura. Informou ainda, que a rua está liberada para tráfego de veículos e passagens de pedestres até que a nova empresa possa retomar as obras.

Sérgio Sá destacou que depois que a empresa de obras desistiu do contrato foi determinado que parte da obra fosse concluída para não prejudicar a população. “O que eles combinaram foi cumprido. Eles fizeram a reposição do pó de pedra na rua, tiraram os entulhos, fecharam valas, tampas, além de corrigir o corrimão de uma das escadas”, disse.

Rua onde a obra estava sendo realizada . Crédito: Caique Verli
Rua onde a obra estava sendo realizada . Crédito: Caique Verli

Segundo informações do secretário, a rua não será asfaltada por hora, porque a obra ainda será retomada. “Não faz sentido asfaltar agora para quebrar tudo de novo. A pavimentação vai ser feita quando a obra for concluída”.

Ainda de acordo com Sérgio de Sá, uma nova licitação está sendo feita para definir qual será a nova empresa responsável pela obra. “Isso pode levar de 60 a 90 dias para a continuação. Depois da licitação, ela pode levar até seis meses para ser finalizada”, relatou.

Sobre multar a empresa por desistir da licitação, o secretário destacou que estão avaliando o caso. “Vamos tomar as soluções cabíveis”, destacou.

O secretário finalizou dizendo que a obra é complexa. “É uma obra difícil. É uma demanda de décadas essa rede de esgoto, acertar drenagem, entre outros. A empresa quando se deparou pediu para não dar sequência, mas vamos seguir”, concluiu.

A Gazeta integra o

Saiba mais
vitória

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.