ASSINE

Greve dos Correios no ES: "Entregas terão atraso", diz sindicato

A adesão dos trabalhadores do setor de distribuição, responsáveis pelo envio das encomendas, foi "muito boa" na Grande Vitória, segundo o presidente do Sintect

Publicado em 11/09/2019 às 10h12
Atualizado em 12/09/2019 às 09h58
Funcionários do setor de distribuição dos Correios entram em greve no Espírito Santo. Crédito: Jose Carlos Schaeffer
Funcionários do setor de distribuição dos Correios entram em greve no Espírito Santo. Crédito: Jose Carlos Schaeffer

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores dos Correios do Espírito Santo, Fischer Moreira, afirmou que a paralisação da categoria, que teve início às 0h desta quarta-feira, deve impactar o cronograma de entregas. Isso porque a adesão dos trabalhadores do setor de distribuição, responsáveis pelo envio das encomendas, foi “muito boa” na Grande Vitória.

Já a participação de funcionários do atendimento na greve foi baixa. Com isso, agências continuam abertas e realizando postagens para clientes que procuram o serviço. No entanto, como na distribuição a adesão foi significativa, as entregas devem atrasar.

Este vídeo pode te interessar

“A adesão na Grande Vitória foi muito boa, não temos um levantamento preciso mas gira em torno de 60% na distribuição. Elas (as encomendas) terão atraso”, disse.

Nesta quarta-feira, os funcionários promoveram uma assembleia de avaliação e decidiram manter a greve por tempo indeterminado. Eles reivindicam um reajuste de 3,25% referente à inflação do período e são contra a retirada de direitos como o corte de ticket-alimentação nas férias e afastamentos.

Segundo Moreira, o objetivo do movimento é retomar as negociações com o governo federal. “Nosso objetivo é fazer com que os Correios venham a negociar conosco de novo. Nossas pautas discutiam na ótica de reposição da inflação no salário e a manutenção dos direitos. Mas, os Correios propõem um aumento inferior a inflação e a retirada de direitos”, disse.

Os funcionários da estatal vão promover uma passeata nesta quinta-feira às 10h, no Centro de Vitória, em busca de diálogo com a população para continuar a mobilização com os trabalhadores.

"Não afeta serviços", diz Correios

Por meio de nota, os Correios informaram que a paralisação parcial dos trabalhadores não afeta os serviços de atendimento da estatal no Espírito Santo. Em levantamento parcial realizado na manhã desta quarta-feira, a estatal informou que 83,65% dos empregados estão trabalhando normalmente no estado.

A nota informa ainda que a empresa participou de dez encontros na mesa de negociação com os representantes dos trabalhadores, quando foi apresentada a real situação econômica da estatal e propostas para o acordo dentro das condições possíveis, considerando o prejuízo acumulado na ordem de R$ 3 bilhões.

Disse que as federações, no entanto, expuseram propostas que superam até mesmo o faturamento anual da empresa, algo insustentável para o projeto de reequilíbrio financeiro em curso pela empresa. E completou, que conta com os empregados no trabalho de recuperação financeira da empresa e no atendimento à população.

ENTREGA

Os Correios informam que a Qualidade de Entrega de Objetos no Prazo no Brasil de janeiro a agosto deste ano é de 98,63%, ou seja, para cada 100 encomendas enviadas 98 são entregues no prazo. Números parecidos com os dados estaduais do Espírito Santo, 97,73%.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.