ASSINE

Falta de manutenção leva a risco de incêndios em prédios históricos

Bombeiros afirmam que fiscalização da estrutura e das ligações elétricas dos edifícios devem ser feitas pela prefeitura

Publicado em 03/05/2019 às 11h45
Edifício Santa Cecília, no Centro de Vitória. Crédito: Fernando Madeira
Edifício Santa Cecília, no Centro de Vitória. Crédito: Fernando Madeira

Um incêndio ocorrido em um prédio histórico do Centro de Vitória, no último dia 28 de abril, reascendeu o alerta quanto ao estado de conservação de alguns edifícios da região e também sobre o possível risco de novos incidentes com fogo. Em outras ocasiões já foi relatado que alguns imóveis do bairro contam com ligações elétricas clandestinas e não passam por manutenção preventiva.

Um desses casos é o edifício Santa Cecília, que pertence à prefeitura de Vitória e há pelos menos dois anos é ocupado pelas atuais famílias sem teto. Comerciantes da região convivem com o medo de acidentes e dizem que o local tem ligações elétricas e hidráulicas irregulares.

O tenente-coronel do Corpo de Bombeiros do Espírito Santo, Carlos Wagner Borges, explicou o dever de fiscalizar a estrutura e as possíveis ligações elétricas irregulares nos prédios históricos é do poder público municipal, e não do Corpo de Bombeiros. O militar explicou que os alvarás relacionados à questão elétrica são concedidos após avaliação de engenheiros do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Espírito Santo (Crea-ES).

"A fiscalização da estrutura física da edificação compete ao poder público municipal, principalmente quando se trata da questão dos prédios históricos que temos na cidade de Vitória. A nossa cidade está envelhecendo, com o envelhecimento surgem também os problemas como os incêndios, quando a edificação não tem toda a questão de manutenção preventiva, principalmente nas instalações elétricas e hidráulicas", disse.

MANUTENÇÃO PREVENTIVA 

O prédio que pegou fogo no último sábado é um imóvel particular e não pertence à Prefeitura de Vitória. O tenente-coronel Carlos Wagner Borges explicou o fogo começou do lado de fora da loja, após uma pessoa em situação de rua colocar fogo um colchão. No entanto, o militar destacou que, mesmo em casos semelhantes ao que aconteceu no prédio histórico, onde o fogo é colocado por terceiros, a realização de manutenção preventiva diminui os danos de incêndio.

Entrada de lojas em prédio histórico que pegaram fogo no Centro de Vitória. Crédito: Eduardo Dias
Entrada de lojas em prédio histórico que pegaram fogo no Centro de Vitória. Crédito: Eduardo Dias

“As edificações mais antigas têm um risco maior de ter um incêndio, principalmente nas questões elétricas, em virtude de curto-circuito ou superaquecimento da fiação. Tudo isso pode facilitar o surgimento de um incêndio em uma proporção muito maior do que para alguém que esteja com uma perfeita manutenção da edificação”, avaliou o tenente-coronel.

COMERCIANTE RECLAMA DE PRÉDIO HISTÓRICO

Na manhã desta sexta-feira (3) a reportagem da CBN Vitória conversou com o proprietário de uma loja que funciona no histórico edifício Santa Cecília, próximo do Parque Moscoso, que pertence à prefeitura de Vitória. O comerciante pediu para não ser identificado e revelou que vai fechar o seu negócio nas próximas semanas, por causa do estado ruim de conservação do do edifício. A parte superior do prédio é ocupado por famílias sem-teto e o comerciante argumenta que o local está com ligações elétricas e hidráulicas irregulares.

Comerciante colocou lona em depósito em loja que funciona embaixo do edifício Santa Cecília, para não perder materiais com infiltrações. Crédito: Eduardo Dias
Comerciante colocou lona em depósito em loja que funciona embaixo do edifício Santa Cecília, para não perder materiais com infiltrações. Crédito: Eduardo Dias

O comerciante afirma que o prédio está com várias infiltrações. Para evitar prejuízos com as goteiras, ele colocou uma lona e baldes em cima das mercadorias. O empresário também desliga os disjuntores da loja todos os dias quando vai embora, pois tem medo que um curto-circuito faça a loja ser incendiada.

O comerciante diz que já pediu para a prefeitura resolver a situação, mas recebeu uma resposta informando que não seriam realizadas obras enquanto a prefeitura não tivesse autorização judicial para retirar as famílias do prédio.

PREFEITURA AGUARDA DECISÃO JUDICIAL

Em relação à falta de fiscalização no edifício Santa Cecília, a Prefeitura de Vitória informou que o imóvel está em processo de reintegração de posse, aguardando decisão da Justiça. Não houve posicionamento sobre fiscalização da rede elétrica do prédio.

Sobre o prédio histórico que pegou fogo no último final de semana, a Defesa Civil de Vitória informou que o imóvel está totalmente interditado pelo órgão e que um laudo pericial será realizado. O proprietário pode efetuar a limpeza do local e protocolar pedido na Secretaria de Desenvolvimento da Cidade para efetuar obras emergenciais de reconstrução.

A Gazeta integra o

Saiba mais
cbn cotidiano cbn vitoria reportagens

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.