ASSINE

Unidos Pela Vacina: apenas oito municípios do ES foram amadrinhados

Média nacional de adesão das empresas à inciativa é de 50% nos outros estados, mas segue com dificuldade no Espírito Santo

Publicado em 12/07/2021 às 17h37
Data: 04/03/2017 - ES - Cariacica - Muitas pessoas foram ao Estádio Kleber Andrade se vacinar contra a febre amarela - Editoria: Cidades - Foto: Carlos Alberto Silva - GZ
Caixas térmicas e câmaras frias, essenciais para armazenamento e transporte dos imunizantes, estão entre as prncipais necessidades dos municípios. Crédito: Carlos Alberto Silva

Desde o início do desenvolvimento da vacina contra Covid-19 em busca de soluções para viabilizar a distribuição rápida do imunizante, o Unidos Pela Vacina, iniciativa da empresária Luiza Helena Trajano e que conta com apoio da Rede Gazeta, se encontra em dificuldade de conseguir empresas para “amadrinhar” as cidades do ES. Enquanto a média nacional de “amadrinhamento” está em cerca de 50%, apenas oito dos 78 municípios capixabas contam com empresas que se responsabilizaram em suprir necessidades para alavancar a vacinação. Dessas oito, apenas uma “madrinha” já entregou os suprimentos necessários.

“Estamos correndo bastante porque já estamos em julho. Temos entrado em contato com as secretarias de saúde dos municípios, identificado o que precisam e, agora, procuramos as empresas para fazer essa ponte. O que sempre enfatizamos é que nenhuma ajuda é pequena demais e que esse é um momento da sociedade civil se engajar nessa luta. Nada vai ajudar mais do que a vacinação. Então todos que podem contribuir de alguma forma será bem-vindo”, destaca a coordenadora do Unidos Pela Vacina no Espírito Santo, Graça Bernardes.

A estratégia de amadrinhamento é umas das propostas do movimento para facilitar as condições dos municípios de agilizar a vacinação, que até o momento só conta com 10% da população do país totalmente imunizada. Para a inciativa, o Unidos Pela Vacina realizou um levantamento com os 5.570 municípios brasileiros e identificou as necessidades de insumos para a execução do Plano Nacional de Imunização (PNI) nessas localidades.

“Entre as principais demandas estão itens como caixas térmicas, câmaras frias e freezers. As caixas, por exemplo, são muito utilizadas para transportar as doses de vacina para zonas rurais, e vão se desgastando com o uso. Outra demanda bem expressiva é a de computadores para os locais de vacinação. Essa falta atrasa o lançamento de dados, e esse é um equipamento que muitas empresas têm a capacidade de doar”, pontua Graça.

É importante destacar que o Unidos Pela Vacina não arrecada fundos para doação em valores aos municípios e nem direciona as empresas apoiadoras para esse tipo de iniciativa. A diretriz do movimento estabelece que as doações sejam feitas em forma de insumos e equipamentos já adquiridos pelas empresas apoiadoras com base no levantamento das necessidades das cidades amadrinhadas. Para saber mais formas de como ajudar, seja empresa ou pessoa física, acesse www.unidospelavacina.org.br ou entre em contato pelo email [email protected]

A Gazeta integra o

Saiba mais
Rede Gazeta Covid-19 Vacinas contra a Covid-19

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.