ASSINE

"Estamos vendo apenas o início da recessão", avaliam economistas

PIB brasileiro recuou 1,5% no primeiro trimestre, segundo divulgou o IBGE na manhã desta sexta-feira. Previsão é que ao fim do ano o Produto Interno Bruto tenha recuo de 5,89%

Publicado em 29/05/2020 às 13h05
Atualizado em 29/05/2020 às 15h11
Pandemia do coronavírus pode representar frustração de receitas para o governo do ES da ordem de R$ 3,4 bilhões em 2020
Expectativa é que PIB do segundo trimestre apresente números ainda piores para a economia nacional. Crédito: Fernando Zhiminaicela/Pixabay

Depois de ver que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro recuou 1,5% no primeiro trimestre de 2020, economistas avaliaram que estamos vivendo apenas o início da recessão. Essa é a avaliação feita pelo economista Ricardo Paixão e pelo PhD em Contabilidade e Finanças André Moura. Ambos concordaram que os próximos dados devem ser ainda piores, já que o segundo trimestre deve marcar o período mais afetado pelo isolamento social. 

Moura destaca que a crise poderia ser menor se, no início da pandemia, houvesse uma ação coordenada pelo governo federal para reduzir os impactos do coronavírus. Já Paixão cita três possibilidades para que o tombo da economia seja pelo menos um pouco amenizado – a utilização de reservas cambiais, a emissão de papel moeda e a utilização do fundo eleitoral. Já 

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.