ASSINE

ES vai obrigar novos prédios públicos a ter estrutura para energia solar

Governo do Estado vai assinar decreto que, no entanto, não obriga a instalação das placas, nem a adequação dos prédios que já foram construídos

Publicado em 12/10/2019 às 08h13
Placas solares: além de prédios públicos, governo deve criar usinas nas fazendas do Incaper. Crédito: Pixabay | mrganso
Placas solares: além de prédios públicos, governo deve criar usinas nas fazendas do Incaper. Crédito: Pixabay | mrganso

O governo do Espírito Santo vai assinar um decreto na segunda-feira (14) que obriga que os novos prédios que forem construídos pela administração do Estado tenham a estrutura necessária para a instalação de placas solares para a geração de energia.

O decreto não obriga, por sua vez, a instalação das placas, nem a adequação dos prédios que já foram construídos, segundo informa o diretor geral da Agência de Regulação de Serviços Públicos (ARSP), Munir Abud de Oliveira. A intenção de usar a energia solar foi anunciada como plano do governo em agosto.

“Esse é o marco de uma política pública de ampliação da energia fotovoltaica no Estado. Os prédios a serem construídos deverão ter a estrutura necessária para a instalação do sistema”, explicou.

Além deste decreto, o governo estadual também planeja criar, possivelmente por meio de concessões, parques solares nas fazendas do Incaper. A proposta é que por meio desses parques solares todos os prédios públicos sejam autossuficientes em energia.

Este vídeo pode te interessar

EVENTO

A assinatura do decreto vai acontecer durante o 11º Fenergia - Fórum Capixaba de Energia. O evento vai tratar das oportunidades e investimentos previstos a partir do novo modelo de regulação do mercado de gás.

Participarão do Fórum representantes da Petrobras, da Empresa de Pesquisa Energética, EDP, do governo estadual, da ES Gás, e outras empresas do setor.

A Gazeta integra o

Saiba mais
incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.