ASSINE

Mulher desaparece após entrar em carro de aplicativo em Vila Velha

Maria José Pires da Silva mandou um áudio para a filha quando percebeu que motorista mudou trajeto. Nesta quinta-feira (17), ela reapareceu

Publicado em 17/06/2021 às 02h36
Atualizado em 17/06/2021 às 18h12
Maria José Pires da Silva desapareceu após entrar em um carro de aplicativo em Vila Velha
Maria José Pires da Silva desapareceu após entrar em um carro de aplicativo. Crédito: Arquivo da família

Uma mulher de 59 anos desapareceu na noite de quarta-feira (16), após pedir um carro de transporte via aplicativo, em Vila Velha. Maria José Pires da Silva mandou mensagem de  áudio para filha, por volta das 20h30, informando que o motorista estava seguindo para um destino diferente do combinado. Ouça:

A jovem Emmanoely Pires contou que a mãe estava em um supermercado de Vale Encantado, quando solicitou a corrida para levá-la até em casa, no mesmo bairro. Um trajeto que, normalmente, duraria cerca de dez minutos. Porém, já dentro do veículo, ela percebeu que o motorista seguia para outro caminho e pediu ajuda.

Assim que ouviu a mensagem, Emmanoely acionou a Polícia Militar. Ela também esteve na Delegacia Regional de Vila Velha para registrar a ocorrência. “O celular da minha mãe estava ligado. As mensagens eram visualizadas, mas ela não respondia nem atendia”, desabafou a filha única, antes de a mãe ser encontrada.

Maria José Pires da Silva desapareceu após entrar em um carro de aplicativo em Vila Velha
Maria José Pires da Silva está desaparecida. Crédito: Arquivo da família

Por volta das 5h50 desta quinta-feira (17), familiares informaram que Maria José Pires da Silva tinha reaparecido e chegado em casa, em estado de choque, depois de ter sofrido ameaças.

Parentes também informaram que, apesar da mulher citar no áudio que chamou um "uber", a corrida foi feita por meio do aplicativo 99. Antes do desaparecimento, o último contato físico entre mãe e filha havia sido às 17h dessa quarta-feira (16), porque elas se revezavam em um hospital de Vitória, onde uma familiar está internada.

O QUE DIZ A POLÍCIA

Por meio de nota enviada na tarde desta quinta-feira (17), a Polícia Civil informou que o caso seguirá sob investigação da Delegacia Anti-Sequestro (DAS). Porém, afirmou que para que a apuração fosse preservada, qualquer outra informação não poderia ser repassada no momento.

A PC também reforçou que a população pode auxiliar na investigação por meio do Disque-Denúncia (181). "Não é necessário se identificar e todas as informações recebidas são investigadas. No site, ainda é possível anexar imagens e vídeos de ações criminosas", esclareceu.

O QUE DIZ A 99

Também por nota, a empresa 99 lamentou o caso e informou que, assim que tomou conhecimento, mobilizou uma equipe para apurar a denúncia e oferecer o suporte necessário para a passageira. "Reiteramos que estamos disponíveis para colaborar com as investigações das autoridades", afirmou, sem dar mais detalhes.

Atualização

17 de Junho de 2021 às 18:11

 A 99 enviou nota sobre o caso. O texto foi atualizado.

A Gazeta integra o

Saiba mais

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.