ASSINE

Secretário de Saúde atualiza situação da pandemia de Covid-19 no ES

Nésio Fernandes fala sobre os novos dados da doença no Espírito Santo

Publicado em 30/10/2020 às 14h19
Atualizado em 30/10/2020 às 15h07

15:05

Fim da transmissão

"As pessoas têm hábito de se deslocar entre as cidades e ir até aos cemitérios agora no feriado... Vamos manter o distanciamento, uso de máscara. Se tiver sintomático, fique em casa, procure uma unidade de saúde. É importante manter essas orientações. Muitas pessoas ainda estão suscetíveis a essa situação, precisamos tomar cuidados. Esse é o recado que eu queria deixar em relação ao dia de finados. Obrigado pela participação de todos".


14:53

Chegada da vacina e convivência com protocolos

"Estamos diante de um vírus novo. A possibilidade de ter uma segunda onda é uma hipótese. O governo do Estado se prepara para todos os cenários. Havendo segunda onda, estaremos preparados para isso. Temos afirmado desde o início de que poderia haver ciclos de abertura e de restrições. Caso ocorra a segunda onda, vamos reclassificar os municípios. Também iremos aumentar a quantidade de leitos para atender todos os pacientes. Há mais de 100 anos não vivemos algo semelhante. Estamos preparados para, tendo vacinas disponíveis, vacinar a população começando pelos grupos de risco. Sendo frustradas as expectativas de que, a partir de janeiro, possamos ter milhões de doses de vacinas, estaremos preparados para ter que conviver com os protocolos por mais tempo".


14:44

Feriadão e uso de máscaras

"Vamos ter um feriadão pela frente, então queremos reforçar as medidas divulgadas: o uso de máscara deve persistir. Não podemos deixar de proteger as pessoas que vivem próximas. Tenha zelo e cuidado com a vida do próximo e com a sua própria vida".


14:39

Censo e inquérito sorológico no ES

"É importante colocar que o inquérito sorológico foi feito com a coleta de sangue venoso, com objetivo de identificar a circulação do coronavírus. Dentro dessas 5.068 amostras nos 13 municípios, é importante ressaltar que queremos estimar e elaborar a estratégia de vigilância em saúde. (...) Usando outra metodologia, trabalhamos focados na comunidade escolar. Estamos na fase de análise desses dados, porque tem uma complexidade maior. Na próxima sexta-feira, vamos apresentar os resultados desse inquérito. Em relação ao Censo Sorológico disponibilizado para os 78 municípios, também foi uma estratégia gigantesca nesse mês de outubro. Hoje temos 68 municípios que concluíram o Censo. Em breve mostraremos os resultados".


14:36

"Não queremos perder pessoas queridas", diz Nésio

"Percebemos que na evolução dos óbitos, há um aumento da longevidade dos pacientes. Temos um aumento de 63 para 68 anos os pacientes que evoluíram para óbito em Vila Velha. Pacientes com maior idade, em especial com comorbidades, possuem um aumento de risco de evoluir para um caso crítico e ir a óbito. Reforçando: não queremos perder pessoas queridas, e para isso precisamos manter a humildade diante da força da pandemia".


14:32

Novas estratégias em caso de segunda onda

"Não vivemos uma situação de pré-colapso ou colapso. Temos, ainda, dento da rede própria aproximadamente 160 leitos a serem inaugurados até o final deste ano. Devemos, nos próximos dias, reverter pelo menos 30 leitos de UTI do Hospital Jayme dos Santos Neves para atender pacientes do trauma e vasculares. Estou afirmando que o Estado do Espírito Santo possui estratégia clara de preparar condições de, independente do cenário futuro, não colapsar o sistema. Para isso, caso ocorra segunda onda de casos graves, estamos desenhando estratégias e estamos também estudando reverter leitos. Também podemos retomar estratégias de distanciamento social e voltar de maneira mais robusta, leitos da própria rede. Os leitos de UTI e enfermaria salvam algumas vidas. Não é garantia de derrotar a pandemia. Leitos de UTI, a ampliação e garantia do acesso, são formas de resistência contra a doença. Estamos resistindo a pressão que ela faz na vida das pessoas".


14:28

"Não há colapso na rede privada", diz secretário

"Existe a informação de que alguns hospitais privados do Espírito Santo têm relatado o aumento da ocupação com pacientes respiratórios. Este é um fato conhecido por parte da Sesa e vivido também. Nós, durante os meses de abril, maio, junho e julho tivemos redução grande do número de trauma no nosso Estado. De acidente de trânsito, de outras doenças... A partir da retomada das atividades econômicas e sociais, começou a retomada de atendimento de pacientes com outras condições de saúde. A oscilação pressiona o sistema de saúde público e privado. Não há um colapso da rede privada. Alguns planos de saúde possuem convênio e possibilidade de compra de leitos. No auge da pandemia, utilizou da estratégia a compra de leitos da rede privada que, no auge, chegou a ter 16% de leito de UTI ofertados. Nós, como governo, desde a última semana de janeiro deste ano, iniciamos os preparativos para atender pacientes com Covid".


14:26

Atividades eleitorais na pandemia

"Tivemos recentemente o início do processo eleitoral no país. O decreto do governador, desde abril, suspendeu a realização de comícios e passeatas. Em setembro, o decreto reforçou essa proibição e tais atividades estão suspensas. Reforçamos o entendimento de não realizar esses eventos, mas temos observado que algumas organizações políticas e partidárias têm realizado atividades que não correspondem a atividades de baixo risco para transmissão. Temos no Estado atividades que não estão respeitando as normas. Quero informar a sociedade que, diante deste quadro, a secretaria de Estado da Saúde, estará recomentando ao Tribunal Regional Eleitoral, que outros poderem se envolvam no processo para proibir essas atividades".


14:23

Maior interação social nas últimas semanas

"Tivemos de maneira explícita, durante os dias 8 de setembro até o dia 10 de outubro, uma sucessão de dias, com calor intenso, feriados e finais de semana com comportamentos sociais inadequados durante uma pandemia. Tivemos aumento da exposição da sociedade e aumento de risco de transmissão. Existe um cansaço psicológico nas vidas das pessoas, esgotamento da sociedade de manter os distanciamentos sociais praticados. Adotamos estratégia de, na fase de recuperação, retomar atividades econômicas e sociais necessárias para o desenvolvimento da sociedade, com respeito a protocolos e medidas que respeitaria o risco de transmissão. Sempre afirmamos que, no contexto de baixo risco de transmissão, o comportamento de risco é baixo. No entanto, com comportamento de risco alto, as pessoas têm probabilidade maior de infecção. Isso sempre foi explícito por parte do governo".


14:20

Aumento de casos na Grande Vitória e interior

"Quero reafirmar que, de fato, o Espírito Santo vive um contexto de baixo risco de transmissão da doença, com uma fase de recuperação. O comportamento de estabilização foi interrompido no interior do Estado com um breve aumento de casos nas últimas semanas e na Grande Vitória, em especial em Vila Velha e Vitória. Tivemos aumento de caso perceptível entre 8 de setembro e 10 de outubro. Neste período, o interior mantinha uma queda sustentável, também do número de óbitos. No entanto, tivemos avaliação positiva na Grande Vitória e tendência de queda e recuperação. No mesmo período, tivemos casos que já foram abordados em outras coletivas que explicam comportamento desse aumento. Tivemos mudança do critério de testagem".

A Gazeta integra o

Saiba mais
SESA Coronavírus Coronavírus no ES Covid-19 nesio fernandes Pandemia

Se você notou alguma informação incorreta em nosso conteúdo, clique no botão e nos avise, para que possamos corrigi-la o mais rápido possível

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.