ASSINE

Moradores protestam na BR 482 após acidente com morte em Alegre

Um motociclista morreu na noite desta quarta-feira (26) e, poucas horas depois, moradores queimaram pneus para fechar a rodovia. Segundo eles, a sinalização no local é confusa

Cachoeiro de Itapemirim / Rede Gazeta
Publicado em 27/05/2021 às 10h08
Um motociclista morreu na noite desta quarta-feira (26) e poucas horas depois, os moradores queimaram pneus para fechar a rodovia. Segundo eles, a sinalização no local é confusa
Os Bombeiros foram acionados para apagar o fogo e liberar a via. Crédito: Reprodução/TV Gazeta Sul

Moradores do distrito de Rive, em Alegre, no Sul do Espírito Santo, fizeram um protesto na noite desta quarta-feira (26), na BR 482, na altura do quilômetro 73. A motivação foi um acidente que ocorreu horas antes, envolvendo uma moto e um veículo. O motociclista morreu.

O motociclista foi identificado pela Polícia Militar como Tiago do Nascimento Sardenberg, de 32 anos. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu aos ferimentos e morreu a caminho do hospital.

Um motociclista morreu na noite desta quarta-feira (26) e poucas horas depois, os moradores queimaram pneus para fechar a rodovia. Segundo eles, a sinalização no local é confusa
O motociclista Tiago do Nascimento Sardenberg, de 32 anos, chegou a ser socorrido, mas morreu a caminho do hospital. Crédito: Reprodução/TV Gazeta Sul

A informação da polícia é que a moto que ele pilotava bateu na traseira de um carro, que acessou uma via na contramão. Durante o protesto, as pessoas reclamavam que a sinalização no local é confusa e, por isso, acidentes como esse acontecem.

Segundo a Polícia Militar, de 70 a 80 pessoas participaram do protesto. Os moradores queimaram pneus e outros objetos no meio da rodovia. O Corpo de Bombeiros foi acionado para apagar o fogo e limpar a pista.

Ainda de acordo com a polícia, mesmo com o fogo colocado pelos moradores da região, o trânsito não ficou totalmente fechado e os carros conseguiam passar. A rodovia foi totalmente liberada, por volta das 21h.

Apesar de o fogo ter gerado chamas altas e muita fumaça, a polícia informou que o protesto foi considerado tranquilo e ninguém foi detido ou ficou ferido. A Polícia Civil vai investigar o acidente.

Departamento de Edificações e de Rodovias do Estado do Espírito Santo (DER-ES) e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) foram demandados sobre a sinalização no local. Assim que responderem, a matéria será atualizada. 

Com informações de Priciele Venturini/TV Gazeta Sul

A Gazeta integra o

Saiba mais

Notou alguma informação incorreta no conteúdo de A Gazeta? Nos ajude a corrigir o mais rápido possível! Clique no botão ao lado e envie sua mensagem.

Envie sua sugestão, comentário ou crítica diretamente aos editores de A Gazeta.

Logo AG Modal Cookies

Bem-vindo

A Gazeta deseja enviar alertas sobre as principais notícias do Espírito Santo.

Para melhorar a sua navegação, A Gazeta utiliza cookies e tecnologias semelhantes como explicado em nossa Politica de Privacidade. Ao continuar navegando, você concorda com tais condições.